Artigos

A Fábula do Lombo Assado para o Ano Novo

A Fábula do Lombo Assado para o Ano Novo

Certa feita, a família Monteiro decidirá reunir-se para celebrar a chegada do ano novo.  Cíntia, uma jovem de 18 anos comprometera-se com sua mãe, Dona Alice, a preparar pela primeira vez na sua vida, o tradicional lombo assado, receita que há décadas encantava a família no início de um novo ano.

Para não cometer um equívoco diante do tradicional desafio, a jovem buscou ler a receita uma semana antes, para não falhar no momento da  execução, na importante data que se aproximava. E percebeu, através da leitura antecipada, que além dos tradicionais temperos, era necessário cortar as pontas do lombo, antes de assar. Sem entender o porque, perguntou para sua mãe a respeito destes necessários cortes. Dona Alice respondeu lhe que desconhecia o motivo de tal obrigação, pois sua própria mãe, Dona Lucia houvera passado a receita desta forma. Para que mudar se sempre deu certo? A jovem não se deu por contente. E foi até a casa da avó, que também iria participar da festa, perguntar o porque, após temperar o lombo, era necessário cortar as pontas antes de assar. Dona Lucia, com a doçura natural de avó, respondeu para netinha que carinhosamente chamava de Cinti, que desconhecia o motivo de constar na receita, o necessário ato de cortar as pontas da carne. Mas acrescentou da mesma forma o seguinte comentário : “ Cinti, faça como manda a receita … não deu sempre certo ?… Minha neta, não invente moda mudando a receita”. E complementou dizendo que assim aprendera com Dona Letícia, a bisa da jovem Cíntia, que ainda gozava de saúde exemplar aos 90 anos de idade. A curiosidade normal dos 18 anos de Cíntia, levou-a até à casa da bisavó, Dona Letícia, para entender o porque da família, que se reunia há 70 anos para celebrar o Dia Mundial da  Paz,  cortava-se as benditas  pontas da peça ainda crua da carne.

Eis que finalmente D. Letícia tinha a solução para este enigma . “Querida Cíntia, certa feita seu falecido bisavô, ganhou uma peça de lombo, como habitualmente acontecia, dada a gentileza de um açougueiro que reconhecia a nossa pobreza de valores materiais. Por não possuirmos muitos utensílios de cozinha, era necessário cortar as pontas, para que coubesse na única assadeira que possuíamos. E assim mantive escrito na receita para não esquecer-me … e a receita espalhou-se desata forma por toda a família “.

Moral da História: Há 70 anos, quatro gerações de uma  família, repetem o mesmo comportamento, e a mesma receita … de vida … sem saber porque, na espera de dias melhores no ano novo.  Caro leitor,  buscar um novo futuro com esperança, implica em renovar atitudes, para que possamos  colher novos frutos. E para que o novo chegue, é imperioso substituir  velhas fórmulas e  cultivar novos hábitos.

O Portal Sustentahabilidade deseja a todos, um FELIZ 2016, com novas receitas de vida, para atingirmos maiores e melhores resultados no ano que  se inicia.

Autor: Roberto Mangraviti

contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Balneabilidade das praias: bandeira verde ou vermelha?

Laís Nunes20 de janeiro de 2018
Mulher na Dependência Quimica

A vulnerabilidade da mulher e a Dependência Química – Parte 2

Dependência Química19 de janeiro de 2018
Fragilidade Humana

A fragilidade humana …”matéria prima” dos ditadores.

Roberto Mangraviti17 de janeiro de 2018
Investimento

Investimento X Resultado em Qualidade e Sustentabilidade

Roberto Roche16 de janeiro de 2018
crise economia

Consequências da crise econômica: quem vai registrá-las?

Ricardo Rose15 de janeiro de 2018
Lições de Mark Zuckerberg

Lições de Mark Zuckerberg para universitários brasileiros

Roberto Mangraviti14 de janeiro de 2018

Como aparar as asas de aves mantidas como pet

Adriana Tereza Petrocelli13 de janeiro de 2018

Conheça nossa nova Colunista: Adriana Tereza Petrocelli

Bel Gimenez13 de janeiro de 2018
O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável

O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável.

Roberto Mangraviti12 de janeiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »