Artigos

A República do Cuspe…

A República do Cuspe…

As cenas protagonizadas pelos  deputados  Jean Wyllys e Bolsonaro na Câmara, e do ator José de Abreu em um restaurante, apresentou uma nova moda à Nação: cuspir ! O gesto de cuspir, é o ato final  de uma sequência do corpo em expelir, mecanicamente,  secreções indesejáveis que não mais se conseguem manter dentro dele. Na visão holística, o ato de cuspir representa um sentimento que também não se consegue manter  dentro do indivíduo.  Na verdade tudo que sai de dentro do indivíduo representa, algo que obviamente foi produzido pelo indivíduo. Nesta linha metafórica de raciocínio temos a perfeita frase de Cristo (pleonasmo?) que nos disse “Não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca” , numa clara alusão, naquela oportunidade, da irrelevância moral do respeito às leis judaicas ( para com os ritos alimentares), quando outros delitos mais graves eram praticados pelas figuras públicas, sem que o povo desse valor a estes últimos.

Retornando  ao Brasil de hoje e das cenas lamentáveis ocorridas,  elas revelam uma face das praticas públicas, as vezes oculta no dia a dia por seus praticantes,   que são efetivamente  preocupantes e que devem merecer atenção do povo. Dirão alguns que Bolsonaro não cuspiu. Sim é fato, mas expeliu de outra forma, conteúdo indesejável ao citar o Coronel Ustra, notório torturador.  Caro leitor, não se engane. Quem por vezes  utiliza a verborragia, gritos, palavrões, cusparadas e outras formas de “comunicação”, especialmente em comícios e cenas  públicas, pertencem a um grupo de pessoas muito peculiares, que ocultam seu interior com uma máscara exterior,  com sorrisos e formas aparentemente brandas para defender suas teses. E buscam com este jeitinho ambíguo, ”modelos” retóricos para expressarem sentimentos de forma aparentemente democráticas, e que “parecem” de proteção a outrem. Mas por dentro, são seres que abraçam a tirania num sentimento interno abjeto, vividos nos porões de seus corações. E sendo assim, quando sentem-se desconfortáveis ou frustrados de seus intentos ocultos, não conseguem reter seus instintos, soltando seu interior através de  gritos, vômitos, cusparadas, e atitudes escatológicas generalizadas. Portanto, por serem farinha do mesmo saco deveriam, todos entrelaçarem suas mãos e livrar o país da sua indesejável vizinhança, migrando para bem distante daqui. Quiçá deveriam comprar uma ilha próxima a estas republiquetas de ditadores violentos e fundar uma nova nação: a  República do Cuspe.

 

Autor: Roberto Mangraviti

contato@sustentahabilidade.com

 

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Queimadas 2017

Queimadas 2017

Roberto Mangraviti18 de fevereiro de 2018
Upp's no Rio de Janeiro

As UPP’S do Rio de Janeiro… uma farsa para “ inglês ver”.

Roberto Mangraviti17 de fevereiro de 2018
Energia de gás natural e biomassa

Energia de gás natural e biomassa

Bel Gimenez16 de fevereiro de 2018
Humburger

Alimentos feitos de insetos, uma realidade de mercado.

Roberto Mangraviti14 de fevereiro de 2018
A Mordida da Centopéia

A mordida da centopéia

Karen P Castillioni13 de fevereiro de 2018
Nicolas Maduro

E agora José ?

Roberto Mangraviti12 de fevereiro de 2018
Empório Mata Atlântica

Empório Mata Atlântica com picolés de Uvaia e Juçara.

Bel Gimenez11 de fevereiro de 2018
Plásticos no Mar

Como o plástico está prejudicando recifes de corais?

Karen P Castillioni9 de fevereiro de 2018
O capital

Melhora ou estagnação?

Ricardo Rose8 de fevereiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »