Artigos

Açúcar ou adoçante?

Açúcar ou adoçante?

Mesmo que você não seja uma pessoa adepta a dietas, podemos dizer que você se preocupa com sua própria saúde, certo? Porém, quando o assunto é o hábito de adicionar açúcar ou adoçante nas bebidas, as instruções são as mais controversas possíveis. Há quem diga que o açúcar mascavo (aquele não tão refinado, que possui uma coloração mais escura por esse motivo) seja o mais saudável de todos. Há também pessoas que dizem que o adoçante é sempre melhor, mas apenas o de algumas marcas, pois os outros podem ser cancerígenos. Vamos desvendar essas questões a seguir.

Primeiramente, segundo o nutrólogo Mohamad Barakat, do Health4Life (SP), o ideal seria que não consumíssemos nem açúcar, nem adoçante. Isso porque alimentos como massas, cereais, tubérculos, frutas e leite já tem a capacidade de gerar açúcar para o nosso organismo. Porém, conforme afirma a nutricionista Daniela Jobst, nosso contato com o açúcar inicia logo após a gravidez, sendo que nosso corpo geralmente associa o açúcar a emoções boas. Assim, é muito difícil para as pessoas deixarem de consumir açúcar. Uma alternativa é incentivar as crianças a gostarem do gosto original dos alimentos, oferecendo eles sem açúcar e coberturas desde cedo.

Para os que não tiveram a sorte de ter o seu organismo educado desde cedo, eis a resposta: o melhor depende de cada caso. Se o individuo for uma pessoa saudável, o mais recomendável é que a dieta tenha quantidades moderadas (já que açúcar em excesso não faz bem para ninguém) de açúcar, que pode ser refinado.

Entretanto, se alguma dieta para redução de peso estiver acontecendo, o adoçante é o mais indicado. Segundo a pesquisadora Lidiane Bataglia da Silva, do ITAL (Instituto de Tecnologia de Alimentos), em entrevista fornecida à Unimed, o adoçante tem um poder entre 150 e 200 vezes maior para adoçar as coisas do que o açúcar refinado. É por isso que ele não engorda, pois a quantidade consumida é muito pequena. No caso de haver um quadro patológico, como diabetes, o adoçante também será provavelmente indicado, lembrando que a prescrição médica é indispensável.

Autor: Cristian Reis Westphal

contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Varejo

Varejo crescerá 1,4% em 2017.

Roberto Mangraviti21 de outubro de 2017
Boni

Boni-65 anos de brilhante trajetória televisiva

Fabio Rejaili Siqueira20 de outubro de 2017
Riso

A origem do riso

Convidado18 de outubro de 2017
acidente ambiental

Complacência MATA!

Roberto Roche17 de outubro de 2017

Desperdício “Zero” … cultura Mottainai do Japão.

Tiemi Yamashita13 de outubro de 2017

O quão grande pode se tornar um tsunami?

Cristian Reis Westphal12 de outubro de 2017
Meio Ambiente

A Importância da Conformidade Ambiental da Indústria

Roberto Roche10 de outubro de 2017
Cerrado

Cerrado e agricultura

Ricardo Rose6 de outubro de 2017
QSMS-RS sustentabilidade

O que a indústria espera do seu Gestor de Sustentabilidade

Roberto Roche5 de outubro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »