Artigos

Acupuntura Veterinária

Acupuntura Veterinária

– Jura que existe isso em animais? Eles ficam quietinhos durante a sessão?

Estas são as perguntas mais frequentes quando o assunto é acupuntura veterinária. E tem razão de ser, afinal essa técnica não é muita divulgada. Apesar de parecer recente, a acupuntura em animais é praticada na Unesp-Botucatu e na UFRural do Rio de Janeiro, desde 1978 e 1981, respectivamente, sendo nesta última para analgesia, durante cirurgias abdominais em cães.
Essa técnica chinesa milenar é uma opção terapêutica para doenças musculares, esqueléticas, tegumentares e nervosas. Muitas pessoas não sabem, mas quando nossos animais envelhecem, eles também desenvolvem artrose, dores nos joelhos, bicos de papagaio, hérnias e assim por diante.
Tecnicamente não há diferença entre os procedimentos de avaliação a serem aplicados, entre os humanos e em nossos animais de estimação, porém os exames necessários para correto diagnóstico dessas patologias, ainda são muito onerosos e inacessíveis para a maioria dos proprietários. E além de dispendiosos, nem todas as cidades possuem equipamentos necessários, como por exemplo, o de ressonância magnética.
Outra dificuldade a ser destacada, são as cirurgias neurológicas e de coluna, pois pouquíssimos profissionais estão habilitados e ainda faltam muitos estudos para que essas técnicas se tornem seguras e eficazes. Assim sendo a acupuntura se torna uma opção terapêutica, as vezes única e de custo acessível para muitos pacientes com dor crônica.
Segundo a medicina tradicional chinesa acredita-se que existem diversos meridianos (canais) que transportam o chamado Qi (“energia”) pelo nosso corpo. A acupuntura visa manejar essa energia de maneira que esta não falte em nenhum órgão específico, e assim o organismo fique equilibrado.
E para atingir este equilíbrio, utiliza-se os pontos referentes aos meridianos para tratar as doenças. Existem diversas maneiras de estimularmos esses pontos : com as mãos (do-in), com agulhas, com eletricidade (eletroacupuntura), com calor (moxabustão), com sangue (hemopuntura), com fármacos (farmacopuntura), com laser e assim por diante. A escolha da técnica dependerá do objetivo do tratamento e da aceitação do animal. A ideia é que o tratamento seja algo agradável como um todo, assim, se seu cão ou gato não suportar agulhas, outras formas poderão ser utilizadas

É importante esclarecer que diferente da medicina ocidental, a acupuntura não trata a doença, e sim o paciente. Portanto, dois animais podem ter a mesma patologia e serem tratados de maneiras diversas pois, é necessário a individualização de cada ser para obter-se sucesso no tratamento. Sendo assim, não existe uma “receita de bolo” quando se trata de acupuntura.
Ao que parece, a tendência natural na evolução dos tratamentos dos pets, está convergindo para uma medicina integrativa, onde a confluência das técnicas ocidentais e orientais, será o grande caminho a ser percorrido, principalmente para os indivíduos idosos. Afinal nosso único objetivo é tê-los conosco o máximo de tempo possível … e claro, com qualidade de vida

Autora: Fernanda Lanzelotti

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Médica Veterinária graduada na Unesp - Botucatu. Pós-Graduada em Acupuntura Veterinária e em clínica médica e cirúrgica de Felinos. Os atendimentos são realizados no cunsultório da Clínica Veterinária Spécialité -Uberlândia -Mg

Mais em Artigos

Fragilidade Humana

A fragilidade humana …”matéria prima” dos ditadores.

Roberto Mangraviti17 de janeiro de 2018
Investimento

Investimento X Resultado em Qualidade e Sustentabilidade

Roberto Roche16 de janeiro de 2018
crise economia

Consequências da crise econômica: quem vai registrá-las?

Ricardo Rose15 de janeiro de 2018
Lições de Mark Zuckerberg

Lições de Mark Zuckerberg para universitários brasileiros

Roberto Mangraviti14 de janeiro de 2018

Como aparar as asas de aves mantidas como pet

Adriana Tereza Petrocelli13 de janeiro de 2018

Conheça nossa nova Colunista: Adriana Tereza Petrocelli

Bel Gimenez13 de janeiro de 2018
O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável

O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável.

Roberto Mangraviti12 de janeiro de 2018

Desmatamento na Amazônia, é um estrago irrecuperável?

Roberto Mangraviti10 de janeiro de 2018
Locais acidentados

Visitas de autoridades aos presídios e locais acidentados.

Roberto Mangraviti9 de janeiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »