Artigos

Bactérias avisam seu cérebro quando você já comeu o suficiente

Bactérias avisam seu cérebro quando você já comeu o suficiente

Com as festas de família, é provável que já saibamos que vamos exagerar na comida. Usualmente usamos essa época do ano para fazer um balanço das nossas ações e também para agradecer as coisas boas que aconteceram no ano.

Portanto, eis aqui outra coisa para agradecer: o exército de bactérias que irão digerir tudo o que você comer. Além disso, como se não bastasse, parece que os benefícios que estas nossas parceiras nos geram não param por aí.

Quando você come, na verdade também está alimentando e gerando uma série de bactérias que vivem no seu intestino. Na verdade, durante uma das várias comilanças que acontecem nos finais de ano, você pode estar gerando mais de um bilhão de bactérias E. Coli por vez. Só depois de cerca de vinte minutos após a explosão populacional é que a bactéria E. Coli chega à sua massa populacional crítica, o que faz com que elas parem de se reproduzir. É quando elas entram neste estado de repouso que enviam um conjunto particular de proteínas para o nosso corpo.

Pesquisadores colheram as proteínas geradas pela E. Coli no período pós-refeição e colocaram-nas em dois ratos. Pelo que tudo indica, as proteínas pareceram interagir com as células endócrinas no intestino, produzindo uma série de hormônios que diziam ao cérebro: “Ei, pare de comer. Nós estamos cheios”. Enquanto isso, ao longo de uma semana, os ratinhos injetados com as proteínas da E. Coli comeram menos em cada refeição (embora eles tenham compensado isso comendo mais vezes).

O estudo sugere que as proteínas produzidas por bactérias podem influenciar e até mesmo interferir na sensação de saciedade que sentimos após comer. Bem, certamente os pesquisadores não irão injetar inibidores bacterianos de apetite nas pessoas tão logo, mas talvez valha a pena prestar mais atenção à saúde e à composição de nossas bactérias intestinais, uma vez que eles parecem desempenhar um papel importante na regulação do nosso desejo de comer.

Autor: Cristian Reis Westphal
contato@sustentahabilidade.com

 

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Roberto Roche12 de dezembro de 2017
São Paulo

Cidade de São Paulo – TODOS são “fumantes”.

Roberto Mangraviti9 de dezembro de 2017
Leite e Qualidade

Leite: qualidade, processamento e as nomenclaturas comerciais.

Convidado8 de dezembro de 2017
Pré-História

Homem … 45 mil anos de impacto ambiental

Ricardo Rose7 de dezembro de 2017
Gestão Ambiental

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche5 de dezembro de 2017
equipes

Equipes de Crise Corporativa

Roberto Mangraviti2 de dezembro de 2017
Energia Aeólica

A Cidade de Saerbeck planejou e realizou o futuro.

Roberto Mangraviti1 de dezembro de 2017
Demitir Clientes

Momento(s) de “demitir” um cliente !

Roberto Mangraviti30 de novembro de 2017

A revolução das impressoras 3D: Impressão de pontes de aço

Cristian Reis Westphal29 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »