Artigos

Bactérias e a formação do oxigênio na Terra Primitiva

Bactérias e a formação do oxigênio na Terra Primitiva

Sem a vida microbiana, a humanidade nunca teria evoluído. Pouco mais de dois bilhões de anos atrás, as algas fotossintéticas tinham sido as responsáveis por proporcionar que o nosso planeta pudesse ser respirável.

Um estudo publicado na Nature Geoscience revela que além das algas, outro fator pode ter sido um grande influenciador da produção de oxigênio: o manto de fogo que havia na Terra primitiva.

Sabe-se que o manto parcialmente fundido e em parte sólida, ocupava cerca de 84% de todo o volume do planeta – e nele continha uma grande quantidade de oxigênio. Na verdade, era o seu elemento mais comum, constituindo cerca de 45 por cento de toda a massa.

Uma equipe de pesquisadores de Yale, Universidade do Estado de Arizona, e do Bayerisches Geoinstitut na Alemanha queriam saber se as concentrações de oxigênio atmosférico na Terra há bilhões de anos atrás foi afetada pelas concentrações de oxigênio no manto. A fim de descobrir, eles submeteram amostras sintéticas do manto inferior a vários ambientes de oxigênio em alta pressão.

As rochas mais densas, onde se encontram entre o manto e o núcleo externo, teriam se transformado em bolhas fundidas que hoje podem ser encontradas sob o continente africano e o Oceano Pacífico.

Por outro lado, as rochas mais leves teriam subido ao manto superior. O modelo dos pesquisadores mostrou que, ao longo do tempo, por meio das placas tectônicas e da atividade vulcânica, este material teria sido forçado até a superfície. As reações químicas teriam por fim liberado o oxigênio, permitindo que fosse distribuído na atmosfera.

Este estudo sugere que a atmosfera primitiva do nosso planeta foi pelo menos parcialmente controlada pelo terror turbulenta do manto super aquecido.

Autor: Cristian Reis Westphal
contato@sustentahabillidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Roberto Roche12 de dezembro de 2017
São Paulo

Cidade de São Paulo – TODOS são “fumantes”.

Roberto Mangraviti9 de dezembro de 2017
Leite e Qualidade

Leite: qualidade, processamento e as nomenclaturas comerciais.

Convidado8 de dezembro de 2017
Pré-História

Homem … 45 mil anos de impacto ambiental

Ricardo Rose7 de dezembro de 2017
Gestão Ambiental

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche5 de dezembro de 2017
equipes

Equipes de Crise Corporativa

Roberto Mangraviti2 de dezembro de 2017
Energia Aeólica

A Cidade de Saerbeck planejou e realizou o futuro.

Roberto Mangraviti1 de dezembro de 2017
Demitir Clientes

Momento(s) de “demitir” um cliente !

Roberto Mangraviti30 de novembro de 2017

A revolução das impressoras 3D: Impressão de pontes de aço

Cristian Reis Westphal29 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »