Artigos

Certifique-se das suas ações

Certifique-se das suas ações

O desmatamento ilegal e a procedência da madeira, ganha espaço cada vez maior  na mídia e na cabeça do consumidor consciente.

As ferramentas disponibilizadas para a atualização de informação sobre esta matéria, crescem em qualidade e quantidade vertiginosa. Qualidade e quantidade de informação, por sinal,  tem tudo a ver com o tema, até nas questões semânticas. Pois as queimadas e o desmatamento, são consideradas questões “qualitativas” quando  reduzem a biodiversidade. Contudo, quando há uma eliminação total de uma floresta, deve-se atribuir o termo ”desflorestação”, por ser permanente. Enfim, estas práticas destruidoras ganharam maior velocidade e impacto, a partir da revolução industrial, levando as florestas em todo mundo a níveis irrisórios nos países do primeiro mundo. Para minimizar estas práticas no restante do planeta, o Google lançou uma ferramenta “online”  chamada de Observatório Mundial  (www.globalforestwatch.org ) que controla as queimadas em real time, apoiada em dados da Universidade de Maryland, e disponibilizadas gratuitamente.

No Brasil, podemos, como consumidores conscientes, verificar a procedência da madeira através de selos como da Imaflora (www.imaflora.org) que comprovam legalidade do material consumido. Vale destacar que estas certificações impactam positivamente na conservação das florestas, para que não ocorra no Brasil, o que aconteceu com em outras florestas há mais de um século mundo afora. Este descuido no passado obriga hoje os EUA a gastarem cerca de US$ 70,00 por hectare na preservação das florestas remanescentes, contra minguados US$ 2,00 investidos pelo governo brasileiro na mesma tarefa. Nossa situação contudo no quesito preservação,  ainda é razoável já que possuímos em média 63% do território nacional com vegetação nativa, cabendo o índice de 32% para agricultura/pastagens e 5% para zona urbana. Mas o descontrole ainda é a tônica comportamental por aqui, o que levou a  altos índices de destruição da Mata Atlântica, entre outras. Se considerarmos o que gastam os norte americanos hoje com conservação, é obvio que mais vale prevenir do que remediar, para que não tenhamos amanhã que financiar a manutenção ou remediação daquilo que já não temos. Portanto, certifique-se das suas ações, comprando madeira certificada.

 

Vegetação_Nativa1

 

Foto: Wikipedia

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

O sistema de defesa contra infecções - Entenda esse jogo de edição de genomas!

Você sabe o que é CRISPR-Cas9? Entenda esse jogo de edição de genomas!

LIDIANE DE SOUZA TORRES6 de novembro de 2019

Educação Ambiental

Karen P Castillioni31 de outubro de 2019

Conheça a apelidada “árvore da morte”

Cristian Reis Westphal30 de outubro de 2019

Guia Prático de cuidados com filhotes caninos.

Fernanda Lanzelotti29 de outubro de 2019

Qual a real cor do Sol?

Cristian Reis Westphal28 de outubro de 2019

Rios voadores: há muita água sobre nossas cabeças

Karen P Castillioni25 de outubro de 2019
Monte das Serras

Como fazer um controle biológico de pragas e doenças adequado?

Roberto Mangraviti22 de outubro de 2019
Energia Solar

Empreendimentos utilizando energia solar

Roberto Mangraviti20 de outubro de 2019
Consumidor buscando marcas sustentáveis no Varejo

Consumidor buscando marcas sustentáveis no Varejo

Roberto Mangraviti19 de outubro de 2019

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com