Artigos

Chernobyl pode se transformar em uma fazenda solar

Chernobyl pode se transformar em uma fazenda solar

Três décadas após a evacuação de mais de 350.000 pessoas, partes da zona de exclusão de Chernobyl podem finalmente ser colocadas em uso novamente. A zona que tem sido lentamente recuperada pela natureza e pela vida selvagem poderia ser o novo espaço para um parque de energia solar e renovável, se os ministros do governo forem capazes de obter financiamento suficiente.

A região foi evacuada quando o reator rompeu, liberando uma enorme quantidade de radioatividade na atmosfera. Cerca de 2.600 quilômetros, conhecida como a zona de exclusão, manteve-se abandonada desde então.
Trinta anos depois, um sistema de energia solar renovável pode ser uma das poucas indústrias viáveis ​​que poderiam ocorrer dentro da zona de exclusão. O regresso de pessoas para a área será pouco provável, considerando que a agricultura e a silvicultura estão descartadas por serem muito perigosas, devido aos altos níveis de radiação nas plantas.

Chernobyl 1

 

O governo está com dificuldades de encontrar investidores para ajudar a financiar o projeto, que, de acordo com o site Guardian, os planos estão para a conversão de 6.000 hectares para geração de energia renovável, incluindo a produção de energia solar e biogás.

O governo tem estado sob crescente pressão para fazer algo com a terra ociosa, e com o desejo de reduzir a dependência em relação à Rússia para o poder – que ainda vende grandes quantidades de gás natural.
O projeto de Chernobyl está atualmente na fase de captação de financiamento, mas existem esperanças para se começar o projeto até final do ano.

Autor: Cristian Reis Westphal
contato@sustentahabilidade.com0606

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Queimadas 2017

Queimadas 2017

Roberto Mangraviti18 de fevereiro de 2018
Upp's no Rio de Janeiro

As UPP’S do Rio de Janeiro… uma farsa para “ inglês ver”.

Roberto Mangraviti17 de fevereiro de 2018
Energia de gás natural e biomassa

Energia de gás natural e biomassa

Bel Gimenez16 de fevereiro de 2018
Humburger

Alimentos feitos de insetos, uma realidade de mercado.

Roberto Mangraviti14 de fevereiro de 2018
A Mordida da Centopéia

A mordida da centopéia

Karen P Castillioni13 de fevereiro de 2018
Nicolas Maduro

E agora José ?

Roberto Mangraviti12 de fevereiro de 2018
Empório Mata Atlântica

Empório Mata Atlântica com picolés de Uvaia e Juçara.

Bel Gimenez11 de fevereiro de 2018
Plásticos no Mar

Como o plástico está prejudicando recifes de corais?

Karen P Castillioni9 de fevereiro de 2018
O capital

Melhora ou estagnação?

Ricardo Rose8 de fevereiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »