Artigos

Como fazer uma mini-horta

Como fazer uma mini-horta

Falta de espaço não é mais desculpa para ter sua mini-horta. Mesmo quem mora em apartamentos pode, por exemplo, utilizar jardineiras ou vasos para cultivar seus próprios vegetais. Assim, você poderá ingerir vegetais frescos e totalmente livres de agrotóxicos.

LOCAL

O primeiro passo é escolher o local para abrigar sua mini-horta. Opte por um espaço arejado que receba incidência direta de sol durante pelo menos quatro horas diárias.

Você pode cultivar mais de uma hortaliça em um mesmo vaso. Neste caso, é necessário colocar as plantas que exijam semelhantes cuidados no mesmo recipiente. Este é o caso, por exemplo, da berinjela e do tomate-cereja.

Outra dica importante é que, para o plantio das hortaliças, o vaso deve ter, no mínimo, de 15 a 20 cm.

PLANTIO

Você pode encontrar as hortaliças em forma de sementes ou mudas já prontas, em supermercados ou lojas especializadas.

O plantio de espécies sementeiras como: alface, almeirão, alho-poró, chicória e cebolinha necessita que essas espécies sejam plantadas em sementeiras, antes de irem para o vaso definitivo. As mudas já formadas facilitam o plantio e aumentam o sucesso com a sua horta. Uma dica é que as sementes dessas hortaliças devem ser colocadas em um recipiente com terra solta (não compactada para crescimento das raízes) e adubada, além de protegidas de sol direto. Regue as sementes todos os dias e até duas vezes em dias de muito calor. Quando as sementes começarem a enraizar, você já pode transportá-las para vasos ou para um canteiro definitivo.

Lembre-se de que é importante utilizar terra adubada. Neste caso, você tem duas opções: comprar uma terra orgânica pronta já adubada ou preparar sua própria mistura com terra que tem em casa. Se você deseja preparar a mistura de terra, veja a dica abaixo.

Quais são os componentes da mistura de terra?

Terra + areia + algum tipo de adubo.

Qual é a proporção a ser utilizada para o preparo?

3 partes de terra + 1 parte de adubo (húmus de minhoca) + 1 parte de areia de construção (para evitar a compactação do solo). Depois misture os três componentes.

Como montar o vaso?

No vaso, coloque uma primeira camada de argila expandida (pequenas pedras de argila arredondadas e leves). Depois coloque a areia em uma camada fina para cobrir a primeira camada de argila e, em seguida, cubra com a mistura de terra que preparou. Finalmente, transfira sua muda ou semente para este vaso e complete ao redor da muda ou semente com a mistura de terra. Faça uma rega para deixar a terra úmida.

Gostou? Veja agora um exemplo de plantio de alface.

MiniHorta2

REGA

Para manutenção de sua mini-horta, a rega e a adubação (se necessário) serão praticamente os únicos trabalhos que você terá.

Mantenha a terra sempre úmida, sem encharca-la. Regar uma vez por dia já é o suficiente. O ideal é que você sempre toque a terra para verificar sua umidade, pois tanto o excesso quanto a falta de água podem matar as plantas de sua horta. Sugere-se a utilização de vasos com furos embaixo para escoar o excesso de água.

Para manter a terra adubada, você pode utilizar adubo orgânico, químico ou húmus de minhoca a cada trinta dias.

COLHEITA

Conheça o tempo de colheita de algumas hortaliças que podem compor sua mini-horta:

MiniHorta3

 

Referências:

Vidigal, M. & Crippa, L. (2001). Minhas primeiras plantas e flores como cuidar passo a posso. Ediçaõ Especial Natureza. Editora Europa, págs. 68-73.

 

Figuras:

Figura de capa: http://www.coisasfuteis.com/2014/07/como-fazer-uma-horta-em-casa.html

Vidigal, M. & Crippa, L. (2001). Minhas primeiras plantas e flores como cuidar passo a posso. Ediçaõ Especial Natureza. Editora Europa, págs. 68-73.

Autora: Karen P Castillioni

contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Bióloga com Mestrado em Botânica pela UNESP.Desenvolvedora de estudos ligados à ecologia, conservação, sustentabilidade e impactos das alterações climáticas.

Mais em Artigos

Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Infraestrutura – Brasil no descompasso internacional (2)

Roberto Mangraviti8 de novembro de 2017
Políticos Ranking

Dica de Hoje: site faz “Ranking” de políticos.

Roberto Mangraviti7 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »