Artigos

Dependência Química: Modelos de Internação.

Dependência Química: Modelos de Internação.

A dependência química é um fenômeno epidêmico. É tão alarmante que decidimos esclarecer a cada artigo como lidar com essa situação delicada e caótica. E hoje será apresentado um assunto altamente polêmico:  a internação para dependentes químicos.

Em primeiro lugar, quais são os tipos de internação existentes?

Internação Voluntária: Comunidade Terapêutica na qual a pessoa reside por um período variável de tempo porque deseja o tratamento.

Internação Compulsória: Não é necessária a autorização familiar sendo determinada pelo juiz competente, depois do pedido formal, feito por um médico, atestando que a pessoa não tem domínio sobre a sua condição física e psicológica.

Internação Involuntária: Para que um indivíduo seja internado contra sua vontade, ele precisa estar doente e ser diagnosticado como tal por um médico, que só poderá encaminhá-lo para instituições hospitalares ou comunidades terapêuticas com perfil médico.

Nesse sentido, recomendamos: conheça pessoalmente o corpo clínico da instituição para estabelecer confiança nos métodos utilizados, recorrendo para isso ao “Manual de Orientação para Instalação e Funcionamento das Comunidades Terapêuticas”, link a seguir: http://www.tjsp.jus.br/Download/EPM/pdf/ManualCONED2011.pdf

Leia também o que fala o Conselho Federal de Medicina baseado na RDC 29/11 da ANVISA: http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=25478:2015-04-27-15-40-38&catid=3

Para que tanta informação? Pois infelizmente, com frequência encontramos instituições para dependentes químicos, por vezes  fora da lei, oferecendo desrespeito ao invés de tratamento. Muitas delas aumentam seu capital graças a armadilhas que se alimentam do desespero, inexperiência e ingenuidade técnica das famílias.

Em nossa ampla experiência clínica, constatamos essa realidade absurda que nos  coloca em estado de atenção constante, quanto à escolha de locais adequados para o  encaminhamento de nossos pacientes. Somos uma equipe de 3 profissionais que se dedicaram durante anos ao tratamento de dependentes químicos e seus familiares em consultórios, instituições, consultorias empresariais e escolares e, portanto sentimo-nos na obrigação de alertarmos que nesse meio, já encontramos muitos profissionais sem conhecimento técnico e sem experiência, como  também, felizmente, muitos profissionais altamente responsáveis e capazes.

Portanto, para encaminhar à internação de qualquer dependente químico, é fundamental avaliar corretamente  se ele próprio deseja (voluntariamente) ou não deseja ser tratado. Se desejar, as Comunidades Terapêuticas são sim uma alternativa. Por outro lado, se a pessoa não desejar, os demais tipos de internação podem ser procurados.

Por fim, visite o local antes da internação. Esteja munido das normas vigentes (links acima), pois você deve realizar um check list e verificar por conta própria ou com a ajuda de um profissional se o local é adequado ou não.

Boa Sorte !

Autores: Nancy M.F.Peres , Raquel Arantes e Renan Fernandes de Oliveira

Email de contato: dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Mais em Artigos

Matriz Energética

Produção de Eólica, segue crescendo no Brasil.

Roberto Mangraviti23 de outubro de 2017
Madre Tereza

“Gente do Contra “

Roberto Mangraviti22 de outubro de 2017
Varejo

Varejo crescerá 1,4% em 2017.

Roberto Mangraviti21 de outubro de 2017
Boni

Boni-65 anos de brilhante trajetória televisiva

Fabio Rejaili Siqueira20 de outubro de 2017
Riso

A origem do riso

Convidado18 de outubro de 2017
acidente ambiental

Complacência MATA!

Roberto Roche17 de outubro de 2017

Desperdício “Zero” … cultura Mottainai do Japão.

Tiemi Yamashita13 de outubro de 2017

O quão grande pode se tornar um tsunami?

Cristian Reis Westphal12 de outubro de 2017
Meio Ambiente

A Importância da Conformidade Ambiental da Indústria

Roberto Roche10 de outubro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »