Artigos

Distensão abdominal

Distensão abdominal

Também conhecido como abdômen distendido, ocorre com o aumento do volume abdominal provocado por substancias liquidas, gasosas ou sólidas no seu interior.

A sensação de desconforto ou mesmo doloroso é comum em indivíduos com dietas com excesso de fibras, doces e com habito de engolir grande quantidade de ar durante a refeição.

A sensação de barriga inchada pode ser sintoma decorrente de outras patologias como a Síndrome do intestino irritável, refluxo esofágico, intolerância a lactose e glúten, Síndrome de dumping, tumores abdominais entre outras.

Fatores de risco:

  • Deglutição de ar
  • Constipação
  • Transtorno do Comer Compulsivo
  • Infecções bacterianas no intestino delgado
  • Obesidade
  • Ascite
  • Uso de determinados  medicamentos
  • Insuficiência pancreática
  • Menstruação
  • Parasitoses
  • Aumento dos órgãos abdominais e pélvicos
  • Sinais e sintomas:
  • Dor abdominal
  • Azia
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Fezes sanguinolentas
  • Inapetência
  • Perda de peso

O diagnostico é realizado pelo medico através de histórico, exame físico de palpação abdominal, acrescentado por exames laboratoriais, radiografia, ultrassonografia, tomografia, ressonância e ate mesmo a endoscopia. 

SAIBA MAIS:

Evite o consumo de alimentos gordurosos e de bebidas gaseificadas.

Cuidado com o consumo de:

  • Feijão
  • Ovos
  • Leite
  • Milho
  • Farelo de trigo
  • Cereais
  • Brócolis
  • Alho
  • Repolho
  • Couve-flor
  • Frutose contida nas frutas secas, mel, cebola e alcachofras
  • Sorbitol contido em alguns doces e gomas de mascar ditos sem açúcar

Realize suas refeições sempre no mesmo horário

Alimente-se devagar.

Mastigue bem os alimentos.

Pare de fumar.

Pessoas que se queixam de excesso de gases e barriga inchada, sem ter aumento real do volume abdominal, podem possuir uma forma mais branda da síndrome do intestino irritável.

Esses indivíduos teriam uma maior sensibilidade à distensão gasosa dos intestinos, sentindo desconforto e inchaço com pequenos aumentos do volume de gás intestinal.

Cuidado com o uso de medicamentos analgésicos opioides, antidepressivos, antipsicóticos, anti-histamínicos, ferro e antiácidos à base de alumínio.

Procure seu médico.

Texto: Dr. Leo Kahn

Imagem: https://www.portalsalud.com/por-que-puedo-sentir-el-latido-de-mi-corazon-en-mi-estomago_13167696/

Artigos

Dr.Leo Kahn é médico atuante nas áreas de Endocrinologia e obesidade, foi diretor e coordenador clínico de instituições médicas, palestrante e conferencista internacional. Atua como consultor médico em vários programas de rádio e TV. Coach de Saúde de Performance e atuante em Medicina Preventiva e de Resultados.

Mais em Artigos

Reconhecimento facial para trabalhadores no campo contra o coronavirus

Roberto Mangraviti21 de maio de 2020
Nanotecnologia e o Agronegocio

Nanotecnologia e o Agronegócio

Camila Gagliardi18 de maio de 2020
Benefícios do Abacaxi

Benefícios do Abacaxi

Dr Leo Kahn18 de maio de 2020
Imunidade Alimentos Saudaveis

Imunidade: alimentação com ingredientes naturais

Bel Gimenez15 de maio de 2020
Vinho dos Mortos

Vinho dos Mortos

Bel Gimenez14 de maio de 2020
Ventilador Pulmonar - Covid-19

Ventiladores pulmonares inteligentes desenvolvidos em MG

Roberto Mangraviti12 de maio de 2020
Como cuidar dos pets diante do isolamento social?

Como cuidar dos pets diante do isolamento social?

Roberto Mangraviti11 de maio de 2020
Max Pianura

Max Pianura – Live beneficente deste domingo

Bel Gimenez8 de maio de 2020
Agronegócio - Trator Cor de Rosa

Presença feminina no agronegócio

Bel Gimenez4 de maio de 2020

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com