Artigos

Empresas brasileiras no Paraguai. Motivo? Impostos previdenciários mais baixos.

Empresas brasileiras no Paraguai. Motivo? Impostos previdenciários mais baixos.

O velho ditado “dinheiro não aceita desaforo”, significando naturalmente que o dinheiro mal aplicado não volta mais, nunca foi tão verdadeiro, como nos dias de hoje.

Apesar de ser um velho ditado, o Brasil do século XXI foi construído em cima de clichês do século passado, assustando empreendedores que migram para outras bandas.

E como ninguém gosta de correr riscos com suas economias, empresários brasileiros estão investindo no Paraguai visando baixar o custo de suas operações, pois em terra brasilis , a expectativa de obter retorno do dinheiro aplicado nas empresas, continua muito baixo …

A alta carga de impostos sobre a mão de obra brasileira, obriga empresários nacionais a utilizar mão de obra paraguaia, que custa 30% a menos.

Outro de fator de “incentivo” para estabelecer os negócios no país vizinho, deve-se ao fato que, o imposto de exportação é de apenas 1% . Logo, empresas brasileiras estão produzindo no Paraguai e vendendo para o mercado brasileiro, muito mais potente .

Conforme a Você S/A , “ marcas tradicionais, como a fabricante de brinquedos Estrela e o Grupo Guararapes

Riachuelo, também estão expandindo as operações no país vizinho em busca de menores custos”.

Segundo dados da Confedera¬ção Nacional da Indústria (CNI), 90 empresas brasileiras já cruzaram a fronteira.

Dessas, 58 foram atraídas pela chamada Lei de Maquila, que prevê isenção de impostos a empresas estrangeiras para importar maquinário e matéria-prima, desde que o produto final seja exportado.

Vale destacar que a população do Paraguai, incluindo idosos e crianças, totaliza 6,5 milhões de pessoas ( Censo 2009) , tendo atualmente o Brasil exatamente o dobro … de DESEMPREGADOS ( 13 milhões).

Além das vantagens da mão de obra mais barata, outro fato surreal acontece.

A energia elétrica, produzida pelo Brasil em Itaipu e exportada aos nossos vizinhos, é mais barata que a distribuída aqui em nosso país, conforme acordo muito inteligente firmado por Dilma e Lula.

“No frigir dos ovos”, o custo operacional no Paraguai, utilizando fatores produtivos brasileiros ( energia elétrica, conhecimento industrial e capital brasileiros), é 60% inferior ao mesmo produto fabricado no Brasil.

Caro leitor, repetimos : dinheiro não aceita desaforo.

E portanto fica muito claro que estamos muito atrasados no engajamento da globalização, processo iniciado no final do século passado.

Fica claro portanto que a política macro econômica aplicada por Guido Mantega, é tão arcaica que acaba sendo emoldurada por ditados do início do século passado.

Encerramos portanto fazendo jus de outro ditado… “ no andar da carruagem”, em breve o Paraguai estará a pleno emprego, as custas das desgraças brasileiras: Estado inchado, carga de impostos alucinantes e produtividade medonha.

Texto: Roberto Mangraviti
contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Bolsa Família

O Bolsa Família ocultou a taxa de desemprego real?

Roberto Mangraviti22 de novembro de 2017
QSMS-RS e Sustentabilidade

Mais líderes na gestão de QSMS-RS & Sustentabilidade

Roberto Roche20 de novembro de 2017
Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »