Artigos

Entrevista com a Cantora e Compositora Ana Costa

Entrevista com a Cantora e Compositora Ana Costa

5 Minutos Entrevista a cantora e compositora carioca, Ana Costa que se apresenta no Bistrô Esmeralda, em São Paulo, no dia 23/04/2016 na sexta edição da “Série Popular” n’O Canto da Gente.

— “Adoro a sua voz, a maneira limpa como canta… Soa tão perto de quem está ouvindo que chega a ser confortante.”
Marina Lima

1. Há mais de 20 anos nas rodas de samba e nos palcos do Brasil, você iniciou sua carreira solo com o disco “Meu Carnaval” (2006), venceu o 5
º Prêmio Rival Petrobras de Música como “Revelação” e foi indicada ao Prêmio Tim. Hoje, 10 anos depois do primeiro CD, podemos dizer que tudo mudou ou ainda é a mesma Ana Costa?


Resposta:
Em parte sim. A essência continua a mesma, as mesmas convicções, tudo isso permanece. Mudam as estratégias, a maturidade ajuda muito, a consciência do que dá pra fazer e o que definitivamente não dá pra fazer. Muda o que se espera, mudam os sonhos mas a capacidade de realizá-los, jamais.

2. 3 anos depois veio “Novos Alvos” (2009), com uma pegada totalmente diferente, sofisticada, moderna… Um legítimo discão de samba! Como foi o processo desse trabalho?

Resposta: Alê Siqueira, o produtor do disco Novos Alvos eu conheci durante o trabalho da cerimônia dos Jogos Panamericanos, em 2007. Fiquei impressionada com a enorme capacidade do Alê, me identifiquei totalmente com sua forma de conduzir a música e principalmente com seu bom gosto. Alê Siqueira é um dos produtores mais inventivos e inteligentes do mundo. Nos identificamos e ele aceitou produzir esse disco que considero muito especial. Um trabalho de samba regional com a “pegada” da música universal. O processo foi delicado mas muito prazeroso. Ele mora em São Paulo e o disco foi gravado no Rio. As edições e mixagens foram feitas em Sampa sob sua supervisão. Não foi um processo muito prático, foi difícil mas a música, a feitura de cada arranjo, foi tudo muito legal, uma viagem. Eu gosto dos desafios e esse disco foi um verdadeiro desafio. Brigo por ele até hoje.

3. “Hoje é o Melhor Lugar” (2012) te levou a indicação ao Prêmio da Música Brasileira como ‘Melhor Cantora de Samba’ concorrendo com Alcione. Que luxo! E agora, “Pelos Caminhos do Som” (2015), uma homenagem ao mestre Martinho da Vila chegou em CD e DVD.
Quais são as suas
expectativas desse novo ‘filho’, Ana?

Resposta: As duas vezes que fui indicada a esse prêmio (primeiro ele chamava Prêmio TIM, depois mudou pra Prêmio da Música Brasileira) Alcione era uma das candidatas. Vamos combinar que competir com Alcione não dá, né? (risos)

Sobre o “Pelos Caminhos do Som”, o caminho percorrido por esse trabalho até agora tem sido de muito sucesso e grandes alegrias. A imprensa recebeu-o muito bem, tenho conseguido espaços valiosos até agora. Esse projeto começou a existir há dois anos. Era um show e deu tão certo que resolvemos transformá-lo em registro de DVD com parceria do Canal Brasil e que depois se estendeu pra Cd com parceria da gravadora Biscoito Fino. É um show muito bonito, mostra a influência dos países que falam a língua portuguesa na obra de Martinho da Vila. É um trabalho eclético, apontando várias particularidades da obra desse grande mestre. O show tem um cenário incrível, uma luz que se completa com o cenário, uma direção acertada da filha do Martinho, Analimar Ventapane e uma banda bastante afinada formada por músicos jovens e com muito suingue.

4. Acostumada com o grande público e grandes plateias, você foi convidada para o projeto intimista O Canto da Gente em São Paulo.
Qual a diferença, digamos, de cantar pra poucos?

Resposta: A diferença é que quando você erra, pouca gente testemunha.  Tô brincando!!!
Ainda mais com câmera de celular e toda a tecnologia usada na rede.

Na boa, pra mim não há diferença. O frio na barriga é o mesmo. O grande lance nesse caso específico do show do dia 23 é o desafio de interpretar e tocar um repertório inusitado. Mesmo assim os pequenos espaços, as pequenas formações acabam ajudando para que o show fique intenso. É sempre bom cantar pra uma plateia ligada, interessada e carinhosa.

5. Na sua opinião, qual a importância deste modelo de projeto para o âmbito cultural em nosso país?


Resposta:
Outro dia conversando com o Maury Cattermol, falávamos sobre o momento difícil que estamos passando. Lugares que não existem mais, outros que se renovam e se adaptam à uma outra linguagem artística, a dificuldade que é para as pessoas se locomoverem pra longe de casa por conta da lei seca, acho que tudo isso vai nos fazendo (nós artistas) entender que temos que nos abrir para outras formas de levar nossa arte.

Numa época de crise no cenário da música que não entendo apenas como crise de mercado fonográfico, mas sim uma dificuldade do artista se colocar no mercado de shows, as pequenas plateias surtem efeito totalmente positivo. Plateias que se sentem à vontade (e o artista também quer se sentir à vontade) pra curtir o que o artista tem de mais genuíno para oferecer. Sua música.

 

Autora: Bel Gimenez

contato@sustentahabilidade.com

 

 

 

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Pedagoga, Produtora, Diretora Comercial e de Tecnologia, do Portal Sustentahabilidade.com. Especialista em planejamento de recurso corporativo, gestão de processos e projetos.

Mais em Artigos

Auditoria

Auditoria e Avaliação de Risco Ambiental em Aquisições e Fusões

Roberto Roche22 de agosto de 2017
Plantas ouvem

As Plantas Ouvem

Roberto Mangraviti20 de agosto de 2017
Mercado de Trabalho

Os jovens e suas escolhas profissionais. Um mundo repleto de descontentamento.

Camila Gagliardi19 de agosto de 2017
Árvores Urbanas

Aplicativo para monitoramento de árvores urbanas

Laís Nunes17 de agosto de 2017
ração para cachorro

Dicas de como cuidar das rações dos pets

Fernanda Lanzelotti15 de agosto de 2017
Sistema de Gestão

A Importância do Sistema de Gestão Integrada nas Indústrias de Óleo, Gás e Energia

Roberto Roche15 de agosto de 2017
Lições para o Brasil P&D

P&D no Mundo .

Roberto Mangraviti13 de agosto de 2017
Bem estar

Bem estar dos funcionários em empresas de sucesso

Roberto Mangraviti12 de agosto de 2017
lu oliveira

Acontece em São Paulo

Bel Gimenez11 de agosto de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »