Artigos

Equoterapia- Cavalos a serviço da vida.

Equoterapia- Cavalos a serviço da vida.

A equoterapia, também chamada de hipnoterapia, é uma técnica terapêutica e educacional que utiliza cavalos para melhorar o desenvolvimento psicossocial de pessoas com deficiências ou necessidades especiais. Essa técnica é muito utilizada nos casos de síndrome de Down, paralisia cerebral, acidente vascular encefálico, esclerose múltipla, hiperatividade, autismo ou déficit de concentração/atenção. A equoterapia é reconhecida pelo conselho federal de medicina desde 1997 e pelo conselho federal de fisioterapia e terapia ocupacional desde 2008.

O grande benefício acontece devido ao movimento. A andadura do cavalo resulta em vetores motores tridimensionais que servem de estimulo somatossensorial, proprioceptivo e vestibular para o praticante. A montaria favorece o equilíbrio, fortalecimento muscular, correção postural, entre outras habilidades motoras que culminam em maior independência funcional para o paciente. O atendimento na equoterapia pode se iniciar aos dois anos e se estende até a fase adulta. A meta terapêutica irá variar de acordo com a patologia de cada pessoa e é necessário o acompanhamento de um fisioterapeuta, pedagogo, terapeuta ocupacional ou fonoaudiólogo durante a sessão. Essa é uma técnica multidisciplinar e por isso os locais que oferecem esse trabalho contam com uma equipe de profissionais para abranger todos os aspectos da terapia.

Os cavalos que prestam esse tipo de serviço devem ser dóceis e bem treinados. A sessão precisa acontecer em um haras ou hípica, pois é o local onde os cavalos estão condicionados a trabalhar e menos expostos a ruídos estranhos. As sessões geralmente são feitas duas vezes na semana e duram em média 40 minutos. Como medida de segurança é necessária à utilização de capacete e a presença do treinador do cavalo durante toda a terapia.
Quando empregada de maneira correta e com supervisão técnica os resultados surgem em poucas semanas. Outro ponto positivo é que o tratamento é visto de forma lúdica pelos pais e pacientes, levando a uma sensação de bem-estar gerada pelo contato com a natureza e com os animais. O envolvimento afetivo e vínculo de amizade são comumente observados entre os pacientes e os animais. Por fim é também uma valiosa ferramenta de integração e inclusão social por permitir o desenvolvimento das individualidades de cada criança.

foto: carelikeido.com

Autora: Fernanda Lanzelotti
contato@sustentahabilidade.com

Artigos

Médica Veterinária graduada na Unesp - Botucatu. Pós-Graduada em Acupuntura Veterinária e em clínica médica e cirúrgica de Felinos. Os atendimentos são realizados no cunsultório da Clínica Veterinária Spécialité -Uberlândia -Mg

Mais em Artigos

Cães podem ser geneticamente programados para amar seres humanos

Cristian Reis Westphal22 de março de 2019
Dislexia

Dislexia

Dr Leo Kahn21 de março de 2019
Humanos e Animais

Famílias Multiespécies

Fernanda Lanzelotti20 de março de 2019
Motivação_Herzberg

Teoria da Motivação de Herzberg (3).

Roberto Mangraviti19 de março de 2019
Herpes Zoster

Herpes zoster

Dr Leo Kahn16 de março de 2019

Evidências mostram origem de vida humana no Sul da Austrália

Cristian Reis Westphal14 de março de 2019

Mata Ciliar: os cílios das águas

Laís Nunes13 de março de 2019
Imprensa

No país das declarações

Ricardo Rose12 de março de 2019
Guedes ... um país de extrativistas falando muita merda.

Guedes … um país de extrativistas falando muita merda.

Roberto Mangraviti12 de março de 2019

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »