Artigos

Era uma vez uma praia com dunas

Era uma vez uma praia com dunas

Por definição, uma duna é um aglomerado de areia formado pelo vento, normalmente ao longo de praias arenosas ou no deserto. A teoria do caos, que por nome poderia definir muita coisa, explica a formação das dunas onde um obstáculo (raízes, pedaços de vegetação, entre outros) interrompe o movimento da areia, causando a sua acumulação, e por fim, a formação das dunas.

Apesar de não ser mais do que uma porção de areia formadas pelo vento e não ser o habitat de muitas espécies (animais ou vegetais), as dunas são barreiras naturais e têm uma extrema importância na proteção das praias.

Ao absorver o impacto de tempestades e ondas, as dunas protegem as áreas de inundações, enchentes e danos estruturais em construções. Além do mais as dunas são também um estoque de areia que faz parte da dinâmica da praia, impedindo os casos de erosão e “destruição” que o avanço do mar e as chamadas ressacas podem causar.

Além da ação de proteção, as dunas também agem como filtro, mantendo a qualidade da água costeira, barrando componentes sólidos e poluentes, impedindo-os de chegarem à água.

Mas se você vive no litoral Sudeste pode se perguntar, mas onde estão as dunas? Pois a maioria das construções costeiras no Brasil (e no mundo) estão SOBRE as dunas, ou o que um dia foi duna. Cito o litoral sudeste pois é o litoral mais urbanizado do país. Porém construções em áreas de dunas estão presentes do Oiapoque ao Chuí.

A ocupação desordenada desse ambiente gera um desequilíbrio na função das dunas e na dinâmica das praias. Quando a construção caótica, agora sim o nome seria bem aplicado, não leva em conta a dinâmica da praia durante períodos de seca e de tempestade, a retirada de areia irá afetar diretamente aquele ambiente e as oscilações do nível do mar.

Talvez as consequências não apareçam tão cedo, mas em cerca de alguns anos ocorrerá a subida do mar, erosão e até destruição do que foi colocado onde deveriam estar as dunas.

Apesar de hoje as dunas serem consideradas áreas de preservação permanente no Brasil, é preciso mitigar e corrigir os erros do passado. Em algumas praias, o plantio de “gramas” na regiões costeiras para a formação de novas dunas têm se mostrado relativamente eficaz, mas muitas pessoas ainda tratam as dunas como depósitos de lixo, estacionamento e até parque de diversão.

Por esse motivo o entendimento do porquê da preservação desse ambiente tão sensível é essencial para que as pessoas, turistas ou moradores, passem a tomar mais cuidado com as dunas e todo o ambiente costeiro. Todo e qualquer impacto que causamos hoje no meio ambiente, fatidicamente voltará para nós, com uma intensidade muito maior, pois, por mais fortes que possamos parecer, nada vai contra às forças da natureza.

Texto: Thayná Correia

Crédito do Vídeo: Via @Metsul.(*)

(*) A Praia do Hermenegildo é uma praia brasileira e está localizada na cidade de Santa Vitória do Palmar
no Rio Grande do Sul, onde mostra erosão costeira do ciclone extratropical destruindo uma casa.

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Mestre em Oceanografia, Física, Química e Geológica. Especialista em Estudos Ambientais para área petrolífera e Repostas a Derramamento de Óleo em Corpos Hídricos.

Mais em Artigos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Roberto Roche12 de dezembro de 2017
São Paulo

Cidade de São Paulo – TODOS são “fumantes”.

Roberto Mangraviti9 de dezembro de 2017
Leite e Qualidade

Leite: qualidade, processamento e as nomenclaturas comerciais.

Convidado8 de dezembro de 2017
Pré-História

Homem … 45 mil anos de impacto ambiental

Ricardo Rose7 de dezembro de 2017
Gestão Ambiental

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche5 de dezembro de 2017
equipes

Equipes de Crise Corporativa

Roberto Mangraviti2 de dezembro de 2017
Energia Aeólica

A Cidade de Saerbeck planejou e realizou o futuro.

Roberto Mangraviti1 de dezembro de 2017
Demitir Clientes

Momento(s) de “demitir” um cliente !

Roberto Mangraviti30 de novembro de 2017

A revolução das impressoras 3D: Impressão de pontes de aço

Cristian Reis Westphal29 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »