Artigos

Febre Amarela

Febre Amarela

Doença infecciosa causada por um arbovírus do gênero Flavivirus, da família Flaviviridae, que é transmitido pela picada dos mosquitos infectados, não havendo transmissão direta de pessoa a pessoa.

O vírus apresenta dois tipos de ciclos epidemiológicos de transmissão o silvestre e o urbano, mas a doença é a mesma em ambas.

No ciclo silvestre os macacos são os principais hospedeiros e amplificadores do vírus e os vetores são mosquitos com hábitos estritamente silvestres. Os gêneros mais importantes da America Latina são o Haemagogus e Sabethes.

No ciclo urbano, o homem é o único hospedeiro com importância epidemiológica e a transmissão ocorre a partir de vetores urbanos (Aedes aegypti) infectados. Essa forma urbana já foi erradicada, o último caso de que se tem notícia ocorreu em 1942, no Acre, mas pode acontecer novo surto se a pessoa infectada pela forma silvestre da doença retornar para áreas de cidades onde exista o mosquito da dengue que prolifera nas cercanias das residências e ataca durante o dia.

O período de incubação no homem varia de 3 a 6 dias, podendo se estender até 15 dias. A viremia humana dura no máximo sete dias e vai de 24 a 48 horas antes do aparecimento dos sintomas até 3 a 5 dias após o início da doença, e é durante esse período que o homem pode infectar os mosquitos transmissores. Nos casos que evoluem para a cura, a infecção confere imunidade duradoura.

Fatores de risco:

  • Municípios das regiões Norte, Centro-Oeste (incluindo o Distrito Federal)
  • Regiões Nordeste (no Maranhão, em todos), Sudeste e Sul
  • Parte dos municípios dos Estados da Bahia, Minas Gerais e Espirito Santo
  • São Paulo a partir de 2018

Sinais e Sintomas da Febre Amarela:

Geralmente aparecem entre o terceiro e o sexto dia após a picada do mosquito:

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Calafrios
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Dores pelo corpo
  • Icterícia
  • Hemorragias de gengivas, nariz, estômago, intestino e urina

O diagnóstico é realizado pelo médico através do histórico e exame físico do paciente, indagando se visitou recentemente áreas de risco e se já tomou a vacina. Só é possível confirmar após a realização de exames laboratoriais complementares (MAC-Elisa, PCR ou isolamento do vírus em cultura) em laboratórios de referência indicados pelas secretarias estaduais de saúde.

Saiba mais:

O período em que uma pessoa pode ser fonte de infecção para o mosquito é relativamente curto de três a cinco dias, a partir do início da doença.

Vacine-se contra febre amarela pelo menos dez dias antes de viajar para áreas de risco e não se esqueça das doses de reforço que devem ser repetidas a cada dez anos.

Como é uma vacina com vírus vivo, há o risco teórico de infectar o bebê.

Mulher que amamenta tem que tomar cuidado, pois existe relato de transferência do vírus da vacina pelo leite materno.

A indicação da vacina tem que ser avaliada individualmente nesses casos.

Em área de risco:

Use sempre calças e camisas que cubram a maior parte do corpo.

Aplique repelente sistematicamente.

Não se esqueça de passá-lo também na nuca e nas orelhas.

Repita a aplicação a cada quatro horas, ou a cada duas horas se tiver transpirado muito.

Use mosqueteiro quando for dormir. 
Procure informar-se sobre os lugares para os quais vai viajar e consulte um médico ou os núcleos de atendimento ao viajante para esclarecimentos sobre cuidados preventivos.

A febre amarela é uma doença de notificação compulsória no mundo, o registro de novas mortes decorrentes da infecção pelo vírus da febre amarela em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais assustou a população neste início de ano.

Em agosto do ano passado, o Ministério da Saúde havia dado como encerrado o maior surto da doença no país desde 1980.

Texto: Dr. Leo Kahn

Imagem: Portal sustentahabilidade.com

Artigos

Dr.Leo Kahn é médico atuante nas áreas de Endocrinologia e obesidade, foi diretor e coordenador clínico de instituições médicas, palestrante e conferencista internacional. Atua como consultor médico em vários programas de rádio e TV. Coach de Saúde de Performance e atuante em Medicina Preventiva e de Resultados.

Mais em Artigos

O sistema de defesa contra infecções - Entenda esse jogo de edição de genomas!

Você sabe o que é CRISPR-Cas9? Entenda esse jogo de edição de genomas!

LIDIANE DE SOUZA TORRES6 de novembro de 2019

Educação Ambiental

Karen P Castillioni31 de outubro de 2019

Conheça a apelidada “árvore da morte”

Cristian Reis Westphal30 de outubro de 2019

Guia Prático de cuidados com filhotes caninos.

Fernanda Lanzelotti29 de outubro de 2019

Qual a real cor do Sol?

Cristian Reis Westphal28 de outubro de 2019

Rios voadores: há muita água sobre nossas cabeças

Karen P Castillioni25 de outubro de 2019
Monte das Serras

Como fazer um controle biológico de pragas e doenças adequado?

Roberto Mangraviti22 de outubro de 2019
Energia Solar

Empreendimentos utilizando energia solar

Roberto Mangraviti20 de outubro de 2019
Consumidor buscando marcas sustentáveis no Varejo

Consumidor buscando marcas sustentáveis no Varejo

Roberto Mangraviti19 de outubro de 2019

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com