Artigos

Fundo Amazônia

Fundo Amazônia

O Fundo Amazônia foi criado em 2008 e tem como finalidade a captação de recursos através de doações para investimentos em projetos de redução do desmatamento e para conservação e uso sustentável da Floresta Amazônica. Sua gestão é feita pelo BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) que capta os recursos, contrata e monitora os projetos.

Os doadores para o Fundo podem ser pessoas físicas, empresas, instituições e governos estrangeiros.

O Fundo é aplicado em projetos de gestão de áreas de proteção ambiental, de atividades de uso sustentável, de conservação da biodiversidade e de fiscalização ambiental incluindo monitoramento da floresta por satélite.

Os principais doadores do Fundo Amazônia são a Noruega (2,8 bilhões de reais), a Alemanha (60 milhões de reais) e a Petrobrás (14 milhões de reais).

Segundo Relatório de Projetos do Fundo Amazônia de maio de 2017, foram desembolsados do Fundo R$ 730 milhões para apoio de um total de 89 projetos, sendo 12 já concluídos.

No entanto, desde 2013 o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), principal órgão do governo federal para fiscalização e controle de agressões ao meio ambiente, teve sua verba para fiscalização reduzida pela metade; e em 2017 o Ministério do Meio Ambiente teve 43% de seu orçamento cortado pelo Governo Federal.

Diante das altas taxas de desmatamento da Amazônia e das medidas do governo brasileiro de enfraquecimento da proteção ambiental (redução de áreas de proteção ambiental e de reservas indígenas), na última semana a Noruega anunciou o corte de 50% dos repasses para o Fundo Amazônia, o que significa redução de R$ 400 milhões para R$ 200 milhões.

O acordo entre Brasil e Noruega já previa que os repasses noruegueses seriam de acordo com os resultados brasileiros refletidos nas taxas de desmatamento, ou seja, se o desmatamento aumentasse o valor das doações diminuiria.

Em 2016 o desmatamento da Amazônia aumentou.

Cerca de 8 mil Km2 de floresta foram desmatados entre agosto de 2015 e julho de 2016.

A área desmatada neste período é equivalente à 800 mil campos de futebol, ou, 5 cidades de São Paulo.

A emissão de CO2 por causa do desmatamento aumentou 11% no Brasil, aumentando a contribuição para o aquecimento global.

Para se ter ideia, entre 2011 e 2012 o desmatamento da Amazônia liberou quase 250 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera, este valor é mais do que o dobro da quantidade emitida por todos os carros do país no mesmo período.

http://sustentahabilidade.com/mata-ciliar-os-cilios-das-aguas/

 

Texto: Laís Nunes
contato@sustentahabilidade.com

Referências

Fundo Amazônia (www.fundoamazonia.gov.br)

O Eco (www.oeco.org.br)

Rede Amigos da Amazônia – FGV

Imagem : Natureza Bela Vida

 

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Bióloga e pedagoga com mestrado em Biologia Vegetal (UNESP Rio Claro). Tem interesse nas áreas de ecologia, ecossistemas aquáticos, educação ambiental e sustentabilidade.

Mais em Artigos

Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Infraestrutura – Brasil no descompasso internacional (2)

Roberto Mangraviti8 de novembro de 2017
Políticos Ranking

Dica de Hoje: site faz “Ranking” de políticos.

Roberto Mangraviti7 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »