Artigos

Inteligência Social e a diversidade.

Inteligência Social e a diversidade.

Os modelos de avaliação nas áreas de recursos humanos no final do século passado (que agora parece distante uma eternidade) estavam ancorados em 2 pilares básicos: a inteligência emocional e a inteligência racional.

Dizia-se que um funcionário (utilizando o termo da época) estava devidamente preparado, sendo considerado equilibrado e eficiente, quando apresentava um bom índice médio de ambas qualificações. Havia inclusive um sentimento negativo, quando uma destas “inteligências” se sobrepunha em demasia sobre a outra, pois com alguma  razão entendia-se que o fulano era por demais racional em detrimento da sua percepção emocional, ou vice-versa.

Este tema já se mostra um tanto quanto ultrapassado com o advento da inteligência social, que se encontra no centro da antiga dicotomia  emocional/racional.

O ser que possui inteligência social, está antenado nas tendências comportamentais da sociedade, independente de sexo, raça ou religião. É um profissional que interage em qualquer ambiente, adaptando-se facilmente ao grupo de trabalho até porque não é mais um “funcionário” mas um colaborador, por vezes a distância, trabalhando em home-office até em outro país.

Possui um perfil criativo e colaborativo, desprovido de preconceito, com visão global e multidisciplinar.

Pudera, se consideramos que em 2020 teremos 5 bilhões de seres humanos interligados pela internet, sendo que hoje o Facebook é “terceiro país do mundo em população” , perdendo somente para China e Índia, como imaginar um ser humano sobrevivendo sem inteligência social ?

Esta característica humana que vai se tornando muito comum nos dias de hoje, abrirão muitas fronteiras para  novos negócios para quem estiver atento.

Os norte americanos há tempos se aperceberam desta dinâmica, investindo em ambientes de negócios que acolhem a pessoa com deficiência (Pcd).

Calcula-se que o 1,5% do PIB norte americano esteja nesta esfera de participação. Isto significa um impacto de  U$$ 0,3 trilhão de dólares norte americanos, mais do que muito pibinho mundo afora.

Para tal sucesso investiu-se em ajustes arquitetônicos como rampas para cadeirantes e sanitários adequados em rede hoteleira e restaurantes , além de comunicação em braile entre outros fatores, que levaram as taxas de ocupação média subirem para 70% nestes nichos de negócios. Até porque uma pessoa Pcd arrasta 3,5 consumidores em média (familiares e amigos) quando uma praça de consumo apresenta condições democráticas a todos envolvidos e resultando por fim na  fidelização de clientes, sendo ou não pcd,  pelos motivos óbvios.

Portanto esta visão não é simplesmente racional ou emocional, mas social e holística … onde o olhar  diverso vai muito além  de prestar um aparente  “favorzinho”  à uma pessoa Pcd.

Nada melhor para classificar esta visão, tomando a declaração que nos foi dada pelo Dr. Sérgio Felipe de Oliveira, que classifica de maneira brilhante este raciocínio : “A inteligência só se torna lúcida quando a informação é transformada em ação do bem”

E a sua empresa, como está enxergando este novo momento?

 

Autor: Roberto Mangraviti

Email: contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Motivação_Herzberg

Teoria da Motivação de Herzberg (3).

Roberto Mangraviti23 de novembro de 2017
Bolsa Família

O Bolsa Família ocultou a taxa de desemprego real?

Roberto Mangraviti22 de novembro de 2017
QSMS-RS e Sustentabilidade

Mais líderes na gestão de QSMS-RS & Sustentabilidade

Roberto Roche20 de novembro de 2017
Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »