Artigos

Joaquim Levy – o brasileiro errado!

Joaquim Levy – o brasileiro errado!

A queda do PIB no Brasil, no biênio 2015/2016, será a maior redução desde o desastre da quebra da Bolsa de Wall Street em 1929, em se confirmando as previsões dos analistas.

O cenário externo naquela oportunidade para os países tops, especialmente os EUA (que consolidaram sua liderança no cenário mundial no final da 2.a Guerra) era dramático, diferente na situação da atualidade. O total de instituições bancárias fechadas somente nas terras yankees nos anos de 1920/30, totalizou 14 mil estabelecimentos. Quebradeira jamais vista ! Foi um índice astronômico, que demonstra que a crise de 1929, é única na história do planeta, espalhando especialmente o terror para a vida dos norte-americanos, um país habituado ao pleno emprego, que teve 20% da população desempregada naquele tempo.

Mesmo assim, em que pese o desastre econômico vivido no mundo, que teve ainda em 1939 o início da 2.a Guerra e todo o novo desastre protagonizado por Hitler, o Brasil não viveu uma redução do PIB semelhante a que deverá ocorrer em 2015/2016, que atingirá 7% acumulados. Ou seja, citar a influência externa como fator determinante para a crise atual, nos leva a seguinte reflexão: ou não nos preparamos para crise de 2008 (infinitamente inferior a de 1929) para enfrentarmos a dinâmica externa atual ou talvez a crise não foi a responsável pelos problemas brasileiros. Escolha, caro leitor, a pior opção. Mas o fato é que serão necessários cerca de 15 a 20 anos para recuperarmos esta perda. Claro, pois um eventual crescimento normal de 1,5% ou 2 % ao ano a partir de 2017, será insuficiente para recuperar o que se perdeu (7%), especialmente se consideramos ainda que em 2014 o crescimento foi zero, pois esta é a herança da gestão de Guido Mantega.

Portanto, assusta-nos perceber que parte da sociedade brasileira desconhece História e demonstra incapacidade de entender a dimensão do problema que estamos vivendo atualmente. Misturam política partidária com economia, desprezando a realidade “existencial” com uma habilidade impressionante, colocando-se próximo de uma doença crônica de cegueira.

Isto se torna mais evidente e cruel (a todos os brasileiros), quando o noticiário do Portal o Estado de São Paulo de 09 de janeiro, informou que o ex-ministro da fazendo, Joaquim Levy , demitido em 19 de dezembro, é o novo Diretor do Banco Mundial. Levy, que houvera proposto uma política econômica austera, lastreada em cortes de gastos do governo, não completou 1 ano de gestão a frente do ministério. A lógica indica que a demissão do ex-ministro ocorreu por não estar preparado para enfrentar o conturbado cenário internacional, como estava Mantega. Porém Joaquim Levy, sequer cumpriu o “aviso prévio” de 30 dias e nem receberá a primeira parcela do auxílio desemprego, pois já foi contratado para dirigir o Banco Mundial. Ironicamente, Levy dirigirá uma mega instituição de fomento, voltada a superar crises mundiais, fator este tido como responsável pela crise brasileira. Ou o Banco Mundial, após 1 ano da saída de Mantega ( que ficou 4 anos a frente do ministério da fazenda) não sabe direito para quem empresta dinheiro e não entende de crises mundiais … ou contratou o brasileiro errado !

Autor: Roberto Mangraviti

contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Varejo

Varejo crescerá 1,4% em 2017.

Roberto Mangraviti21 de outubro de 2017
Boni

Boni-65 anos de brilhante trajetória televisiva

Fabio Rejaili Siqueira20 de outubro de 2017
Riso

A origem do riso

Convidado18 de outubro de 2017
acidente ambiental

Complacência MATA!

Roberto Roche17 de outubro de 2017

Desperdício “Zero” … cultura Mottainai do Japão.

Tiemi Yamashita13 de outubro de 2017

O quão grande pode se tornar um tsunami?

Cristian Reis Westphal12 de outubro de 2017
Meio Ambiente

A Importância da Conformidade Ambiental da Indústria

Roberto Roche10 de outubro de 2017
Cerrado

Cerrado e agricultura

Ricardo Rose6 de outubro de 2017
QSMS-RS sustentabilidade

O que a indústria espera do seu Gestor de Sustentabilidade

Roberto Roche5 de outubro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »