Artigos

Key Account Management e a Sustentabilidade

Key Account Management e a Sustentabilidade

“A atividade do KAM  (Key Account Management) resulta em vendas, mas é acima de tudo uma atividade de geração de negócios do cliente e com o cliente e demanda mudanças comportamental e técnica na interação com o mesmo.”

Assim o Prof. Dr. Francisco Alvarez, um dos mais renomados profissionais na área de Trade Marketing, no Brasil define os fundamentos do Gerente de Contas Especiais ou KAM.

Olhando o conceito da Sustentabilidade, é possível identificar princípios absolutamente semelhantes e convergentes com a função do KAM porém  o empresariado, ainda não se ateve sobre a necessidade da  inserção da sustentabilidade nas empresas, ou de profissionais que se utilizam deste conhecimento como ferramenta adicional ou de apoio ao KAM .

Conforme ainda o citado professor, dada a globalização, o crescimento das empresas e ainda considerando que muitas vezes  (conforme Lei de Pareto) 80% das vendas está concentrada em 20% dos clientes, muitos empresários decidiram pela contratação de gerentes de vendas de contas especiais para atender esta concentração, ou pior, acabam assumindo esta tarefa em detrimento da direção do negócio.

Um dos objetivo (e maiores)  de um Gerente de Sustentabilidade é semelhante a um KAM : substituir o foco de venda de produtos pela venda de bons negócios .

Para o melhor desempenho de um KAM, faz-se necessário “conhecer profundamente o cliente, sua posição de mercado, suas competências, seu processo decisório” avaliando acima de tudo o potencial deste cliente .  Ora é exatamente esta a contribuição que a sustentabilidade leva às corporações, pois obriga uma interação com os stakeholders que permite imergir nos clientes e fornecedores, contribuindo para a citada mudança técnica e comportamental e o aprofundamento da relação comercial.

Por vezes investe-se em treinamento nos melhores vendedores (que é sempre louvável) com novas técnicas de vendas para aproximá-lo de uma função semelhante a um gerente especial de contas, esquecendo-se que o foco é a mudança da estratégia, na forma de agir, no próprio DNA da Empresa ao invés de fazer mais do mesmo.

Através da sustentabilidade pode-se conhecer os objetivos de longo prazo de um cliente, atividade quase impossível para um gestor dedicado a cumprir exclusivamente metas de venda e cria a oportunidade de desenvolver novos produtos e serviços que não compunham o portfólio da empresa.

Vale destacar como um grande exemplo de novos negócios, o que tem ocorrido com empresas de fornecimento de tintas e insumos para o ramo gráfico, onde  a legislação ambiental  os obriga ao destino adequado dos resíduos de produção.

Esses produtores de tinta  criaram um serviço especial para as gráficas que simplesmente querem se desfazer dos galões vazios contaminados  de tintas (independente de onde tenham adquirido as tintas) e  passaram a receptores  de lixo de terceiros, recolhendo os galões num primeiro momento de clientes potenciais,  estreitando a relação através de uma solução ambiental correta , para em seguida obter o obvio : a conta de fornecimento de tintas.

Isto é mais do que entender o cliente, significa “estar com ele” no dia a dia da operação. É mais do que ser um gerente especial de contas, representa interligar estratégias, interesses comuns e acima de tudo os negócios das empresas através de uma visão sustentável.

Isto é que significa ser sustentável !

 

Roberto Mangraviti

Economista, Consultor de Estratégias de Sustentabilidade da Trade Marketing.

Consultor da ADASP , Criador, Produtor e Apresentador do Programa ADASP-Sustentahabilidade,  na TV Sorocaba ao Vivo.

Editor do Portal Sustentahabilidade.com

roberto@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Queimadas 2017

Queimadas 2017

Roberto Mangraviti18 de fevereiro de 2018
Upp's no Rio de Janeiro

As UPP’S do Rio de Janeiro… uma farsa para “ inglês ver”.

Roberto Mangraviti17 de fevereiro de 2018
Energia de gás natural e biomassa

Energia de gás natural e biomassa

Bel Gimenez16 de fevereiro de 2018
Humburger

Alimentos feitos de insetos, uma realidade de mercado.

Roberto Mangraviti14 de fevereiro de 2018
A Mordida da Centopéia

A mordida da centopéia

Karen P Castillioni13 de fevereiro de 2018
Nicolas Maduro

E agora José ?

Roberto Mangraviti12 de fevereiro de 2018
Empório Mata Atlântica

Empório Mata Atlântica com picolés de Uvaia e Juçara.

Bel Gimenez11 de fevereiro de 2018
Plásticos no Mar

Como o plástico está prejudicando recifes de corais?

Karen P Castillioni9 de fevereiro de 2018
O capital

Melhora ou estagnação?

Ricardo Rose8 de fevereiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »