Artigos

Lições de Mark Zuckerberg para universitários brasileiros

Lições de Mark Zuckerberg para universitários brasileiros

O filme “A Rede Social” conta a história de Mark Zuckerberg, criador do Facebook,  e os desdobramentos daquela criação.

Intrigas, discussões, contratos feitos e desfeitos e tantos outros ingredientes comuns na gestão de empreendimentos, são apresentados no filme lançado em 2010. (1)

Curiosamente  todos estes “temperos” são apresentados durante a estada de Zuckerberg em Harvard, a tradicional universidade norte americana fundada em 1636.

E toda a trama praticamente se desenrola a partir das relações que o nerd de Harvard, estudante genial da computação, em 2003, vai construindo através das amizades e inimizades,  enquanto ia desenvolvendo o Facebook, simultaneamente a  vida universitária.

Mesmo sendo o filme uma peça artística que não necessariamente represente a verdade dos fatos, os debates dos universitários  (jovens de 20 a  22 anos)  surpreende pela carga de frieza diante da vida profissional em vias de se iniciar.

Algum “papo cabeça” entre os personagens ?

Qual o melhor sistema político ?

Hugo Chavez  estava sendo prejudicado pelos EUA ?

Bush deveria ter invadido o Iraque ?

Irão matar Bin Landen (afinal  WTC havia sido atacado) ?

Nenhum destes temas combina com os personagens e portanto passam longe do roteiro.

Mas outras temas  comuns nos jovens desta idade, como drogas, sexo, álcool em profusão, tem largo espaço no cenário dos acontecimentos, afinal emoldura as atitudes daqueles jovens (normais) nos EUA como em todo mundo.

Isto gera numa plateia brasileira um questionamento interessante, pois quando pensamos nos “ nossos  universitários brazucas”, a imagem que salta aos olhos, estereotipada ou não, é totalmente diferente.

Passeatas, greves, agressões, invasões são os “nossos temperos pindoramenses” mais marcantes.

Empreendedorismo, ousadia, disruptura, inovação, sonho, criatividade não são palavras estampadas  nas camisetas do vestuário, comumente utilizadas pelos  nossos jovens universitários … e isto é FRUSTRANTE !

Vale lembrar que, seis anos mais tarde, Mark Zuckerberg,  tornar-se-ia o mais jovem bilionário do planeta.

Alguns dirão que ele é uma genial exceção.

Será?

Veja o slide abaixo:

As grandes empresas

Que palavras podemos associar com as imagens acima ?

Empreendedorismo, ousadia, disruptura, inovação, sonho, criatividade. Claro, que TODAS simultaneamente … e tantas outras assertivas!

São esses termos, os ingredientes utilizados pelos “ex-jovens”, que  no início do século passado, construíram o mundo de hoje … e os jovens de hoje, seguem utilizando, na construção deste século.

Que as lições de Mark Zuckerberg para universitários brasileiros, incluindo nesta lista Steve Jobs, Bill Gates, Larry Page e Sergey Brin… e de tantos brasileiros também como Oswaldo Cruz, Santos Dumont, Barão de Mauá inspirem o futuro do Brasil e do Planeta.

 

Texto: Roberto Mangraviti

contato@sustentahabilidade.com

(1)8 indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme(Dana Brunetti, Ceán Chaffin, Michael De Luca e Scott Rudin), Melhor Diretor (David Fincher) e Melhor Ator (Jesse Eisenberg), vencendo nas categorias de Melhor Roteiro Adaptado (Aaron Sorkin), Melhor Edição (Kirk Baxter e Angus Wall) e Melhor Trilha Sonora Original (Trent Reznor e Atticus Ross). Também venceu quatro Golden Globes, para Melhor Filme – Drama, Melhor Diretor (David Fincher), Melhor Roteiro (Aaron Sorkin) e Melhor Trilha Sonora (Trent Reznor e Atticus Ross).

Outros Textos do Autor

Teoria da Motivação de Herzberg (3).

Visitas de autoridades aos presídios e locais acidentados.

Políticas Sociais no Brasil: um DESASTRE econômico

 

Ver Comentários (1)

1 Comentário

  1. Rafael de lima Monteiro

    20 de janeiro de 2018 às 00:11

    Zuckerberg significa “montanha de açúcar” em alemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Mulher na Dependência Quimica

A vulnerabilidade da mulher e a Dependência Química – Parte 2

Dependência Química19 de janeiro de 2018
Fragilidade Humana

A fragilidade humana …”matéria prima” dos ditadores.

Roberto Mangraviti17 de janeiro de 2018
Investimento

Investimento X Resultado em Qualidade e Sustentabilidade

Roberto Roche16 de janeiro de 2018
crise economia

Consequências da crise econômica: quem vai registrá-las?

Ricardo Rose15 de janeiro de 2018

Como aparar as asas de aves mantidas como pet

Adriana Tereza Petrocelli13 de janeiro de 2018

Conheça nossa nova Colunista: Adriana Tereza Petrocelli

Bel Gimenez13 de janeiro de 2018
O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável

O preço do cobre, os veículos elétricos e a energia renovável.

Roberto Mangraviti12 de janeiro de 2018

Desmatamento na Amazônia, é um estrago irrecuperável?

Roberto Mangraviti10 de janeiro de 2018
Locais acidentados

Visitas de autoridades aos presídios e locais acidentados.

Roberto Mangraviti9 de janeiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »