Artigos

Maduro … um exemplo para o Brasil.

Maduro … um exemplo para o Brasil.

A recente atitude de Nícolas Maduro, avançando por sobre os congressistas venezuelanos, expõe a dicotomia comum entre as pessoas que buscam confundir suas plateias, disfarçando e agindo com falsidade camuflada, entre verdadeiramente “o que sou”, e “ o que aparento que sou”.

Pessoas que produzem muito calor e pouca luz.

Confundem engodo com a verdade.

Arrogância com sabedoria.

Ditadura com democracia.

Claro que 100% da humanidade busca ocultar seus pecadilhos.

Isto é normal, e está inserido nos 7 ½ bilhões de humanos que se comportam como o pavão, abrindo sua bela plumagem para esconder pés horrendos.

Somos TODOS assim … mostramos virtudes e escondemos defeitos, pois a humanidade no seu processo evolutivo, ainda não atingiu o status de apresentar as coisas como realmente são.

Mas, no caso de Maduro, há um agravante perigosamente exponencial, pois vai muito além do estilo “pavão”.

Pois Maduro e seus seguidores compõe um grupo de pessoas, que utilizam o comportamento da falsidade ideológica, portanto, varrendo defeitos para debaixo do tapete e exponenciando virtudes inexistentes, corrompendo assim valores e enganando plateias.

Esta estratégia, é muito comumente utilizada na comunicação, onde o “comunicador” transita por sobre uma fina linha divisória entre dois pontos: imagem e reputação.

Imagem, é o “externo” … aquilo que se “vende” para as plateias, mesmo que o vendedor não acredite no produto ou nas suas próprias palavras.

Contudo, dada sua “competência” de domador dessas plateias, a aderência do discurso populista, é consumido sem engasgos.

E se a plateia for “amestrada”, mais fácil ainda … o produto é consumido no estilo “gato” por “lebre”.
Quanto ao significado de reputação, o sentido é inverso … a ação surge na dura jornada construtiva do aprendizado da verdade, no seu dia a dia.

Quando, por exemplo, uma empresa busca a reputação, ela não nega seus equívocos.

Caso ocorra um erro, os agentes buscam corrigir o equívoco, ao invés de negá-lo.

E agindo assim, até no erro, se constrói uma reputação, as duras penas mas alterando sempre o percurso para melhor.

Um exemplo que representa bem esta dinâmica ocorre quando há “recall” espontâneo da indústria automobilística.

Uma lição doída de humildade pelo engano cometido … “ erramos e vamos consertar” é a mensagem que fica, na construção da reputação.

Contudo, alguns lideres empresariais ou políticos, como Maduro, NÃO ERRAM !

Logo,seu percurso é sempre o mesmo. A direção sempre a mesma… e obviamente o discurso de gente assim é sempre igual.

Os erros serão sempre “dos outros”, que atrapalharam a “trajetória das ações “, justificando assim absurdos de atitudes ditatoriais para corrigir… “ os outros”.

Esta dinâmica, de confundir imagem com reputação, verdade com engodo, curiosamente encontra semelhança em alguns ambientes brasileiros.

Assim como a Venezuela é abençoada com petróleo, que ao invés de gerar recursos definitivos para população como educação, o “ nosso petróleo” não gera nada significativo para os brasileiros.

Desde Monteiro Lobato o tema é envolto em resultados pífios.

Recentemente, discutia-se se os “royalties” decorrentes da prospecção ficariam com os Estados produtores ( São

Paulo, Rio de Janeiro etc) ou com o Governo Federal, lembram?

Mas todos JURARAM que haveriam investimentos em educação, fosse qual fosse o caminho.

Resultado: os “royalties” ficaram com Cerveró, Cabral, Fernando Baiano, e outros  ilustres meliantes.

E a educação ? NADA … somente conseguimos cair ainda mais no ranking mundial.

Muito calor e pouca luz.

Muito discurso e pouca ação.

Muito engodo e pouca verdade.

Que o mal exemplo da atitude de Maduro, deixe definitivamente as claras, que suas intenções intervencionistas e populistas escondem um pavão de asas quebradas, que não consegue abri-las, restando somente a imagem de pés horrendos e sujos a mostra de toda população.

E quanto as plateias “amestradas” brasileiras … não se esqueçam que a Venezuela, nada mais é agora que um pais corrompido, pobre, sem comida, sem medicamentos, pedindo a ajuda a ONU, deitada por sobre um imenso lençol de petróleo estatizado, que não serviu para absolutamente nada de útil para a população pobre venezuelana.

Texto: Roberto Mangraviti
contato@sustentahabilidade.com

Observações:
1.Segundo a Veja “O Brasil é um dos dez países com mais alunos com baixo rendimento escolar em matemática, leitura e ciência, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), em Paris, que avaliou a situação de 64 nações. De acordo com o levantamento, 1,1 milhão de estudantes brasileiros com 15 anos não têm capacidades elementares para compreender o que leem nem conhecimentos essenciais de matemática e ciências. Ao mesmo tempo, o relatório revela que o Brasil é um dos países que mais reduziram o número de alunos sem conhecimentos básicos de matemática.”

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Motivação_Herzberg

Teoria da Motivação de Herzberg (3).

Roberto Mangraviti23 de novembro de 2017
Bolsa Família

O Bolsa Família ocultou a taxa de desemprego real?

Roberto Mangraviti22 de novembro de 2017
QSMS-RS e Sustentabilidade

Mais líderes na gestão de QSMS-RS & Sustentabilidade

Roberto Roche20 de novembro de 2017
Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »