Artigos

Marketing de Causas – Consumidor disposto a pagar mais pelos produtos

Marketing de Causas – Consumidor disposto a pagar mais pelos produtos

Na primeira metade do século passado, o mundo foi devastado por 2 Grandes Guerras , com um hiato de 21 anos entre elas.

Naturalmente que todos os esforços foram canalizados para indústria da reconstrução, onde o conceito de maximizar ganhos a qualquer custo, humanos e ambientais, era a base da cultura empresarial.

A sociedade como um todo, nos anos 70, registrou suas preocupações iniciais, apoiando ações sócio ambientais que levou a ONU , a escolher no início dos anos 80, a primeira ministra da Noruega Gro Harlem Brundtland ,como Chefe da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, publicando em 1987 o relatório “ Nosso Futuro Comum (Our Common Future) ou Relatório Brundtland, como é mais conhecido.

Apesar de todas estas evidências históricas e preocupações com as questões econômicas e sociais, houve uma aderência, quase que exclusiva, entre sustentabilidade e questões ecológicas, nublando o olhar das empresas para a questão fundamental: como produzir mais, consumindo menos recursos.

Por conta desta equivocada aderência , muitas empresas relaxaram seus compromissos com relação a estas questões e outras, utilizaram equivocadamente, como ferramenta de comunicação, sem promover qualquer transformação em suas empresas (greenwashing).

O momento atual se mostra transformador há algum tempo e o foco da cultura das empresas é o próprio consumidor, em substituição aos modelos do século passado. E este consumidor, conforme recente pesquisa da Nielsen em todo mundo, está disposto a pagar mais pelos produtos sustentáveis, especialmente na América Latina, onde 77% dos pesquisados confirmaram este interesse.

Há que se destacar ainda nesta pesquisa, que os consumidores latinos lideram o ranking de interesse em investimentos em empresas sustentáveis, com 75% .

Por conta desta prioridade em focar no consumidor, as empresas devem buscar novos modelos de negócio, onde a visão de longo prazo é fundamental, em contra ponto as políticas imediatistas, praticadas no passado e muitas vezes no presente.

Desconhecer os níveis de pressão de clientes, fornecedores e consumidores para estes temas, sobre uma marca ou produto, poderá representar perda de mercado e danos a imagem.

Num mundo globalizado, onde o Facebook, com menos de 10 anos de existência e liderado por um empresário de 29 anos, atrairá 100 bilhões de dólares através de IPO, é natural imaginar que os tempos de resposta da sociedade e do mercado, não são do século passado.

Apesar das pesquisas não esclarecerem suficientemente sobre o índice de rejeição dos consumidores por produtos não sustentáveis, não parece ser prudente ao empresário, descobrir esta resposta pressionado pelo mercado.

Adequar estratégias e visão de longo prazo passa a ser imperativo na transformação do DNA de uma empresa em busca da longevidade.

Roberto Mangraviti

Ver Comentários (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Roberto Roche12 de dezembro de 2017
São Paulo

Cidade de São Paulo – TODOS são “fumantes”.

Roberto Mangraviti9 de dezembro de 2017
Leite e Qualidade

Leite: qualidade, processamento e as nomenclaturas comerciais.

Convidado8 de dezembro de 2017
Pré-História

Homem … 45 mil anos de impacto ambiental

Ricardo Rose7 de dezembro de 2017
Gestão Ambiental

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche5 de dezembro de 2017
equipes

Equipes de Crise Corporativa

Roberto Mangraviti2 de dezembro de 2017
Energia Aeólica

A Cidade de Saerbeck planejou e realizou o futuro.

Roberto Mangraviti1 de dezembro de 2017
Demitir Clientes

Momento(s) de “demitir” um cliente !

Roberto Mangraviti30 de novembro de 2017

A revolução das impressoras 3D: Impressão de pontes de aço

Cristian Reis Westphal29 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »