Artigos

Mistério por trás do quadro mais conhecido do Mundo

Mistério por trás do quadro mais conhecido do Mundo

A Mona Lisa é uma das peças de obra de arte mais famosas da história da humanidade. Este retrato, pintado pelo artista italiano Leonardo da Vinci, foi pensado para representar Lisa Gherardini no início do século XVI, e foi dado ao rei da França séculos atrás, e está em exposição permanente no Museu do Louvre, em Paris desde 1797.

Agora, 500 anos depois de sua conclusão, o cientista francês Pascal Cotte, afirmou ter descoberto detalhes escondidos dentro da pintura. Conforme relatado pela rede de televisão BBC News, esta potencial descoberta significa que a famosa mulher pintada não é Mona Lisa, como ela realmente era.

Cotte, o co-fundador da Lumiere Tecnologia, teve acesso à pintura (oficialmente chamado La Joconde, a “mulher feliz”) em 2004 pelo Louvre. Usando uma técnica pioneira chamada “Método de Amplificação de Camada” (LAM), ele afirma ter encontrado uma segunda mulher atrás do retrato. “Nós agora podemos analisar exatamente o que está acontecendo dentro das camadas da pintura e podemos descascar como uma cebola todas as camadas pintadas no quadro”, disse Cotte à BBC News.

A técnica não é invasiva, o que significa que ele não causa qualquer dano para a pintura para penetrar ou alterá-la. A Mona Lisa foi submetida a uma série de luzes intensas, e uma poderosa câmara, levantada sobre as pequenas alterações nas variações na forma como estes feixes de luz eram refletidas e dispersadas a partir da superfície.

Cada camada de tinta adicionado à tela inicial iria produzir uma pequena “colisão” saindo da superfície. Estas colisões seriam construídas em cima de uma a uma, o que significa que a pintura final teria ocultado muitas camadas anteriores de tinta abaixo da superfície.

Cotte disse que a LAM pode detectar estas finas camadas intrincadas abaixo da superfície, medindo as mudanças minúsculas na forma como as frequências diferentes de luz ricocheteiam essas camadas.

Estas reflexões foram usadas para reconstruir as várias camadas ocultas da pintura, e as conclusões de Cotte já estão repercutindo através do mundo da história da arte. Antes de ter sido pintado sobre, outro retrato detalhado de uma mulher diferente pode ser visto, uma sem a marca do sorriso. Isto significaria que, de acordo com Cotte, que esta mulher poderia ser reconstruída da Lisa original, e que a mulher pintada na obra original, na verdade, não é a Mona Lisa.

Autor: Cristian Reis Westphal
contato@sustentahabilidade.com

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Desde 2009 lidera o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Reconhecimento facial para trabalhadores no campo contra o coronavirus

Roberto Mangraviti21 de maio de 2020
Nanotecnologia e o Agronegocio

Nanotecnologia e o Agronegócio

Camila Gagliardi18 de maio de 2020
Benefícios do Abacaxi

Benefícios do Abacaxi

Dr Leo Kahn18 de maio de 2020
Imunidade Alimentos Saudaveis

Imunidade: alimentação com ingredientes naturais

Bel Gimenez15 de maio de 2020
Vinho dos Mortos

Vinho dos Mortos

Bel Gimenez14 de maio de 2020
Ventilador Pulmonar - Covid-19

Ventiladores pulmonares inteligentes desenvolvidos em MG

Roberto Mangraviti12 de maio de 2020
Como cuidar dos pets diante do isolamento social?

Como cuidar dos pets diante do isolamento social?

Roberto Mangraviti11 de maio de 2020
Max Pianura

Max Pianura – Live beneficente deste domingo

Bel Gimenez8 de maio de 2020
Agronegócio - Trator Cor de Rosa

Presença feminina no agronegócio

Bel Gimenez4 de maio de 2020

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com