Artigos

Modelo Econômico NOW em versão A.G.O.R.A.

Modelo Econômico NOW em versão A.G.O.R.A.

A crise de 2008, que ainda não terminou, além de definir uma nova organização econômica mundial, deveria aos brasileiros, servir de ensinamentos visando reavaliar o passado e perspectivas futuras.
Paralelamente, temos visto uma discussão muito pertinente, sobre a “Comissão da Verdade”, visando avaliar os crimes cometidos durante a Ditadura Militar, pois, crimes contra a vida são atemporais, ficam na pele, especialmente para as famílias.
Cabe aqui imaginar as mães, que ainda desconhecem o paradeiro de seus filhos. Terrível !
Mas, nosso espaço, dada a nossa desabilitação jurídica entre outras, não nos autoriza a contribuir neste tema, mas, lança luz sobre um também passado recente, da economia brasileira e do mundo.
A “Comissão da Verdade Econômica”, também deveria ser instituída, para historicamente resgatar assuntos esquecidos e avaliando eventuais riscos atuais, como : malversação do dinheiro público, engodos político-econômicos e justificativas furadas que NOW , têm valor, mas antes não tinham, ou vice versa.
Por exemplo, o economista indiano, Jagdish Bhagwati, da Universidade de Columbia (USA) alerta-nos sobre uma péssima notícia para o mundo, num eventual acordo comercial ente a Europa e os EUA : “ Americanos e europeus podem matar a Organização Mundial do Comércio” ( Revista Exame 06/03/13). Parece que o Livre Comércio deixou de ser tão importante para o mundo … NOW !
A mesma revista, em outra matéria da mesma edição, pergunta, “ Obama, contra o mercado ? ” , fazendo menção ao discurso do presidente no Congresso, em defesa de um maior intervencionismo do Estado nos EUA.
Relembrando, que no início da sua primeira gestão, Obama, viu-se obrigado a “injetar” US$ 30 bilhões de dólares na indústria automobilística norte-americana, que já dava sinais de colapso diante da concorrência asiática, há décadas. Assim, aparentemente o intervencionismo do Estado na economia não é mais problema, na nova visão dos norte-americanos… NOW !
E não é somente nos EUA que o intervencionismo anda em alta, pois entre o Reino Unido, EUA, França e Japão, é o Brasil atualmente que apresenta o menor gasto governamental percentual , em relação ao PIB, cabendo-nos 37% numa ponta, de nação menos intervencionista e aos britânicos, 45% na outra, como “campeões” do intervencionismo.
Esta nova (des)ordem mundial, está estampada na mídia : descontrole das contas em alguns países ; em outros medidas protecionistas, quer seja no livre comércio ou na legislação trabalhista levando a resultados lamentáveis.
Os cipriotas, por exemplo, pagarão, com o próprio suor da poupança dos cidadãos, a dívida do Chipre, contraída por governos ineptos, num suave confisco de 40% do saldo das contas bancárias.
Para ficarmos ainda no continente europeu, a Itália, hoje deve cerca de 140% do PIB. Adiciona-se ainda uma “conquista trabalhista” de uma legislação absolutamente arcaica e fora dos padrões de mercado, que não permite empresários demitir funcionários , seja por ineficiência ou mal resultados dos negócios, levando a uma fuga de capital para outros países, como Alemanha e até o Brasil. Neste mundo globalizado, onde a China produz um PIB de 1 Grécia a cada 12 semanas , é de se esperar que o capital ande para fora do país, numa velocidade superior a Ferrari em Monza !
E os nossos riscos ?
Bem, temos nossa versão tupiniquim, que funciona dentro do Brasil, que seria o “ Agora Pode”, porém como brasileiro gosta de siglas, criamos o : A.G.O.R.A.
Quando éramos uma nação desmantelada nos anos 90, o PROER , fundo constituído para salvar bancos a beira da falência, era tachado por alguns, como um fundo constituído para salvar banqueiros inescrupulosos com o “suor do povo” etc e tal.
Contudo a operação A.G.OR.A. da Caixa Econômica Federal (a Caixa do Povo) para salvar o Banco Pan Americano (privado) , injetou 2,5 bilhões .
Privatizações do passado? Significava vender o patrimônio do Povo, porém o projeto A.G.O.R.A., privatizará aeroportos.
No fim do ano passado, numa operação de R$ 12,0 bilhões, o Banco (BNDES) foi autorizado a comprar ações da Petrobras que estavam no Fundo Fiscal (FFIE), que concentra as aplicações do fundo soberano brasileiro – formado com a “sobra” do superávit primário de 2008 – e repassá-las ao Tesouro Nacional . Isto é maquiagem ?
Não sabemos, mas a operação A.G.O.R.A., foi classificada de normalíssima.
Em resumo, situações que no passado era motivo de críticas viraram soluções, como num passe de mágica com o Projeto A.G.O.R.A.
Resta a saber o que a “Comissão da Verdade Econômica” no futuro dirá, se continuaremos numa política de austeridade para nos aproximarmos do modelo alemão de sucesso. Ou se vamos distribuir benesses aos funcionários, públicos e privados, que nos aproximem da Itália, ou pior, se retornaremos aos confiscos de nossas contas, como no passado, pois queremos ser AGORA o Chipre !

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Árvores Urbanas

Aplicativo para monitoramento de árvores urbanas

Laís Nunes17 de agosto de 2017
ração para cachorro

Dicas de como cuidar das rações dos pets

Fernanda Lanzelotti15 de agosto de 2017
Sistema de Gestão

A Importância do Sistema de Gestão Integrada nas Indústrias de Óleo, Gás e Energia

Roberto Roche15 de agosto de 2017
Lições para o Brasil P&D

P&D no Mundo .

Roberto Mangraviti13 de agosto de 2017
Bem estar

Bem estar dos funcionários em empresas de sucesso

Roberto Mangraviti12 de agosto de 2017
lu oliveira

Acontece em São Paulo

Bel Gimenez11 de agosto de 2017
EUA

Nos EUA, empresas salvam Acordo do Clima cancelado por Trump

Ricardo Rose10 de agosto de 2017
Energia Solar2

Energia Solar – preços em queda.

Roberto Mangraviti9 de agosto de 2017
foco no resultado

Foco no resultado do negócio, com Sustentabilidade!

Roberto Roche8 de agosto de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »