Artigos

A morte do filho de Abel Braga e uma lição ao Barcelona.

A morte do filho de Abel Braga e uma lição ao Barcelona.

O acidente que culminou com a morte do filho de Abel Braga, mostrou para que serve socialmente  um esporte, como o futebol.

Torcedores do Sport em Recife, adversários do Fluminense (equipe dirigida pelo Abelão), saudaram calorosamente o técnico adversário na entrada ao gramado, numa demonstração de solidariedade diante da dor inegável.

Uma  cena emocionante a qualquer ser humano, minimamente normal, mesmo aos que nãopossuem nenhuma simpatia com aquele esporte.

Feita a reverência … bola em jogo…  e os torcedores adversários (no caso Sport de Recife) trataram de torcer para o time da casa, dentro do campo, afinal a lamentável tragédia é um fato extra campo, que obviamente merecia o devido respeito.

Já a transferência de Neymar Jr, saindo da cidade de Barcelona para arriscar-se em Paris, mostrou inversamente,  o lado equivocado de parte dos espanhóis, inclusive  da imprensa, fora do campo.

A contenda saiu do aspecto esportivo e migrou para o pessoal, obviamente, fora do campo de disputa.

Os dirigentes do Barcelona, talvez o maior clube do mundo, não aceitaram serem “trocados” pelo Paris Saint German,  afinal eles se “acham” os maiores.

Afinal, como pode este “moleque”  sair do Barcelona ?

O MAU EXEMPLO DOS DIRIGENTES

A Federação Espanhola, num gesto insano,não aceitou o cheque enviado pelo parisienses, obrigando os compradores irem até o clube catalão para concluírem a transação.

Ao mesmo tempo, os dirigentes do clube espanhol , desdenharam da escolha do atleta em seguir para o time francês.

Agiram  como se fossem senhores feudais ou fazendeiros donos de um escravo, com o direito exclusivo de definir o futuro do jovem jogador (por sinal trabalhador dedicado)  e definir  onde deve, ou pode trabalhar.

Enquanto isso Neymar Jr, reverenciava Leonel Messi, seu antigo companheiro do Barcelona, dizendo em vídeo postado no Facebook, da eterna gratidão à quem considera o melhor do mundo.

Gesto de humildade, ratificando o óbvio: o protagonismo de Messi.

Aproveitou ainda e agradeceu a casa em que trabalhou,  destacando a importância da ex-empresa no seu crescimento profissional.

O argentino, por sua vez, “devolveu a bola” para Neymar, como nas geniais tabelinhas que protagonizaram em 04 anos juntos de Barcelona, desejando “boa sorte” ao amigo brasileiro, através do Twitter.

Fidalguia e demonstração de verdadeira amizade, de forma recíproca, de profissionais que jamais mostraram o mínimo sinal de inveja ou rusgas, muito comuns quando profissionais  mundialmente reconhecidos atuam na mesma área e também na mesma empresa.

Por sua vez Luis Suárez jogador uruguaio e uma das pontas do infernal tridente de ataque catalão, MSN, não se fez de rogado, e rasgou elogios ao brasileiro, desejando “buena suerte” ao amigo.

Outro amigo que demonstrou exemplar comportamento, fora de campo, como não podia deixar de ser, entre profissionais de elevada postura.

E o melhor … não deram a menor pelota para a imprensa,muito menos aos seus patrões.

E o torcedores ? E a imprensa ?

Bem  estes, refletiram a postura equivocada dos dirigentes.

Torcedores  jogaram no lixo as fotos de Neymar Jr, e postaram nas redes sociais, este e outros desaforos.

A imprensa espanhola, em momento algum, destacou o brilhantismo da trajetória do brasileiro defendendo as cores barcelonistas, mas aproveitou para jogar lenha na fogueira.

Esquecendo-se inclusive, que em momentos cruciais, como na contusão prolongada  de Messi, ou nos momentos apagados do argentino (como na semifinal contra o Paris Saint German), coube ao brasileiro com galhardia levar a equipe espanhola às vitórias.

Então, qual o crime de Neymar?

Simples: resolveu trocar de patrão, que para os torcedores e imprensa facciosa, é inadmissível.

Cabe aquela parcela dos torcedores espanhóis cegos, e outros semelhantes  em todas partes do mundo, entenderem que o futebol, por mais apaixonante que seja, é um esporte, nada mais.

Portanto, as disputas devem estar inseridas exclusivamente  dentro do campo de disputa, e conduzidas com educação.

Os dirigentes e (jornalistas) que clamam e reclamam tanto por profissionalismo no futebol, criticando o comportamento das facções minoritárias de torcidas quando desandam com agressões , talvez tenham mais que aprender com o parcela saudável delas, felizmente a maioria, ao invés de criticá-las.

Assim como se comportaram os sul americanos, Messi, Suárez e Neymar, o trio MSN, que jamais será esquecido.

E assim como nos ensinaram os torcedores  pernambucanos, no episódio da morte do filho de Abel Braga, que também jamais esqueceremos.

http://sustentahabilidade.com/arena-palmeiras-e-o-desrespeito-publicitario-com-naming-rights/

imagens de Abel Braga – Extra e Goal

Texto: Roberto Mangraviti
contato@sustentahabilidade.com

 

 

 

 

 

 

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade pela WEBTV. Palestrante, Moderador de Seminários Internacionais de Eficiência Energética, Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Queimadas 2017

Queimadas 2017

Roberto Mangraviti18 de fevereiro de 2018
Upp's no Rio de Janeiro

As UPP’S do Rio de Janeiro… uma farsa para “ inglês ver”.

Roberto Mangraviti17 de fevereiro de 2018
Energia de gás natural e biomassa

Energia de gás natural e biomassa

Bel Gimenez16 de fevereiro de 2018
Humburger

Alimentos feitos de insetos, uma realidade de mercado.

Roberto Mangraviti14 de fevereiro de 2018
A Mordida da Centopéia

A mordida da centopéia

Karen P Castillioni13 de fevereiro de 2018
Nicolas Maduro

E agora José ?

Roberto Mangraviti12 de fevereiro de 2018
Empório Mata Atlântica

Empório Mata Atlântica com picolés de Uvaia e Juçara.

Bel Gimenez11 de fevereiro de 2018
Plásticos no Mar

Como o plástico está prejudicando recifes de corais?

Karen P Castillioni9 de fevereiro de 2018
O capital

Melhora ou estagnação?

Ricardo Rose8 de fevereiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »