Artigos

Novidades na medicina: cordas vocais poderão ser construídas em laboratório

Novidades na medicina: cordas vocais poderão ser construídas em laboratório

O aparelho vocal humano é um belo e complexo sistema. É com ele que a maioria das pessoas ganha a possibilidade de se comunicar e transmitir emoções. Por ser tão usual em nossas vidas, deve ser muito difícil quando danos graves nas cordas vocais – também chamadas de mucosas das pregas vocais – levam as pessoas a perderem a voz. “Nessas situações, onde as cordas vocais estão severamente danificadas ou a tecnologia atual não é capaz de consertá-las, a melhor opção pode ser substituí-las”, diz Nathan Welham, da Escola de Medicina e Saúde Pública na Universidade de Wisconsin, EUA.

Welham anunciou recentemente que ele e seus colegas tinham conseguido gerar, através de bioengenharia, mucosas das pregas vocais que são capazes de produzir som. Este pode ser o primeiro passo para possibilitar um transplante no futuro.

A equipe iniciou os estudos com o tecido de cordas vocais de um cadáver. Eles fizeram amostras das células coletadas do tecido, as quais cresceram com sucesso em uma estrutura tridimensional. Mas como as cordas vocais produzidas em laboratório produzem som? Os pesquisadores explicaram que foram feitos alguns testes funcionais onde uma laringe é montada em uma bancada de laboratório. Nela, é colocada uma traqueia falsa, onde o ar, quente e umidificado como no corpo, é soprado, o que faz as cordas vibrarem. “Entretanto, elas vibram e geram som apenas para a atmosfera. E por isso o som é completamente diferente do que o que está saindo da minha boca neste momento… sem a faixa vocal, soa um pouco como um kazoo, tipo de som robótico como Eeeeee… mas é assim que deve soar neste contexto”, diz Welham.

Entretanto, os cientistas garantem que, se um dia as cordas vocais forem implantadas em um paciente humano, o som seria diferente. Devido a outras estruturas presentes, o resultado final certamente ficaria mais natural.

Autor: Cristian Reis Westphal
coontato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Robson Miguel

Robson Miguel em Brasília – Semana do Índio.

Bel Gimenez17 de abril de 2018
Água

Água … uma riqueza desvalorizada no Brasil

Roberto Mangraviti16 de abril de 2018
Japão trabalha para abrigar humanos na Luaem 2030

Brasil … qual o perfil da sua gente ?

Roberto Mangraviti14 de abril de 2018
The Body Shop - Testes em animais

Assinaturas para fim de testes em animais

Roberto Mangraviti13 de abril de 2018
Localoza

Negócio “limpo” – caminho da Localiza no Brasil com solar.

Roberto Mangraviti12 de abril de 2018

Bactérias e a formação do oxigênio na Terra Primitiva

Cristian Reis Westphal11 de abril de 2018
Eficiência Energética

Novas maneiras de incentivar a eficiência energética

Ricardo Rose7 de abril de 2018
Roberto

ABC Repórter destaca o nosso Portal

Bel Gimenez6 de abril de 2018
Produtividade

Missão difícil para o Brasil

Roberto Mangraviti3 de abril de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »