Artigos

PEC 241 – O número de um leito de gente doente .

PEC 241 – O número de um leito de gente doente .

Muitos pacientes são rebeldes. Estas pessoas, reagem diante de um médico que receita um medicamento, rejeitando-o sem saber exatamente qual o componente químico ou finalidade. E por que agem assim ? Porque o paciente tem a prepotência de achar que possui mais conhecimento que o profissional, as vezes com dezenas de anos de experiência. Pior que isso, o paciente sequer reconhece sua própria responsabilidade pela aquisição da doença, seja porque fumou em excesso, alimentação desregrada, álcool etc. E como toda doença séria, NUNCA o remédio será saboroso, perfumado ou palatável, mas absolutamente amargo e de difícil assimilação.

Assim é a PEC 241, um remédio horroroso de engolir, verdadeiramente intragável, e portanto o paciente está esperneando, atitude típica de cidadão mal educado, aquele que reclama do enfermeiro … reclama da comida do hospital … do leito , enfim aquele cara inconveniente, chato pra caramba, que o corpo de enfermagem costuma comentar a boca pequena pelos cantos dos hospitais … “ não aguento mais aquele chato do leito 241”, mas na frente do paciente, nada comenta e aplica a injeção sem dar muita conversa.

Todo aquele que rejeita a PEC 241, tem este “DNA” característico e similar dos pacientes que reclamam de médicos de forma petulante, sem conhecer absoluta nada de ciências biomédicas ou de ciência econômica. Fumou, bebeu em excesso consumindo as reservas do corpo ( e do país ), e ainda escarra sobre o tratamento em redes sociais ou em movimentos de rua … mas continua reclamando do tratamento e fumando e bebendo até morrer de câncer ou cirrose.

E você, caro leitor, costuma obedecer a orientação dos médicos ou também é um paciente rebelde ?

Autor: Roberto Mangraviti
contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Infraestrutura – Brasil no descompasso internacional (2)

Roberto Mangraviti8 de novembro de 2017
Políticos Ranking

Dica de Hoje: site faz “Ranking” de políticos.

Roberto Mangraviti7 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »