Artigos

Pela primeira vez, elementos responsáveis pela vida foram mapeados em nossa galáxia

Pela primeira vez, elementos responsáveis pela vida foram mapeados em nossa galáxia

Os astrônomos usaram uma pesquisa do céu noturno para mapear os elementos da vida através da galáxia.

As descobertas vêm da Pesquisa Sloan Digital Sky (SDSS), um esforço internacional para catalogar 150.000 estrelas na Via Láctea. Usando o Observatório de Apache Point, no Novo México, os astrônomos foram capazes de medir a abundância de 24 elementos químicos em cada estrela – e isso incluiu os blocos de construção de toda a vida na Terra.

Estes elementos em questão são conhecidos como os elementos CHNOPS – carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio, fósforo e enxofre – que compõem mais de 97% da massa de um corpo humano. Para medir as estrelas, os astrônomos usaram um método chamado espectroscopia, que observa a luz das estrelas para calcular a porcentagem de cada elemento na estrela.

Elementos mais pesados como o oxigênio, foram encontrados para ser mais abundante nas regiões internas da galáxia, onde as estrelas são geralmente mais velhas. As pesquisas estimam que planetas rochosos, e até mesmo a própria vida, existiriam muito mais para o centro da Via Láctea, em seguida, em nossa posição em um dos braços da galáxia.

Nenhuma pesquisa antes foi capaz de mapear a abundância de elementos em toda a galáxia.

Não é nenhum segredo que as estrelas eram as responsáveis por todos os elementos mais pesados do universo hoje, emprestando à famosa observação do falecido Carl Sagan de que “todos nós somos feitos de estrelas”. Mas estudar como elas se espalham por toda a galáxia é muito fascinante.

Texto: Cristian Reis Westphal
contato@sustentahabilidade.com

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos

Estudante de Engenharia Química. Lidera há 7 anos o projeto Ciência e Astronomia, que compartilha informações nas áreas da ciência e astronomia. Trabalha com divulgação científica em escolas e disponibiliza telescópios para observações em praças.

Mais em Artigos

Queimadas 2017

Queimadas 2017

Roberto Mangraviti18 de fevereiro de 2018
Upp's no Rio de Janeiro

As UPP’S do Rio de Janeiro… uma farsa para “ inglês ver”.

Roberto Mangraviti17 de fevereiro de 2018
Energia de gás natural e biomassa

Energia de gás natural e biomassa

Bel Gimenez16 de fevereiro de 2018
Humburger

Alimentos feitos de insetos, uma realidade de mercado.

Roberto Mangraviti14 de fevereiro de 2018
A Mordida da Centopéia

A mordida da centopéia

Karen P Castillioni13 de fevereiro de 2018
Nicolas Maduro

E agora José ?

Roberto Mangraviti12 de fevereiro de 2018
Empório Mata Atlântica

Empório Mata Atlântica com picolés de Uvaia e Juçara.

Bel Gimenez11 de fevereiro de 2018
Plásticos no Mar

Como o plástico está prejudicando recifes de corais?

Karen P Castillioni9 de fevereiro de 2018
O capital

Melhora ou estagnação?

Ricardo Rose8 de fevereiro de 2018

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »