Artigos

Produzimos analfabetos científicos ou analfabetos morais?

Produzimos analfabetos científicos ou analfabetos morais?

No Brasil, 60% da população na faixa etária dos 14 aos 45 anos, não consegue executar cálculos rotineiros do dia a dia, são portanto classificados como “analfabetos científicos”, conforme pesquisa de 2014 do Instituto Paulo Montenegro. Este fato leva nosso país ocupar a 58ª posição no ranking da OCDE- Organização para a Cooperação e desenvolvimento Econômico, lembrando que o Brasil aplica 10% do PIB em educação.  Nossa posição em outro importante ranking mundial também é muito preocupante: o da paz. Apesar do Brasil gastar 12% do PIB para contenção da violência (5.a posição no mundo em gastos absolutos) o “ Índice Global da Paz 2015” do Instituto para Economia e Paz coloca nosso país na posição 103. Se somarmos os gastos com educação e segurança, somamos 22% do PIB do país que estão sendo aplicados com resultados dramáticos. Por definição técnica, recurso é “matéria finita”, seja de qualquer natureza ou espécie, humana, econômica ou ambiental. Entender o conceito da responsabilidade social como uma alavanca econômica que permeia a população, ao invés de política pública de assistencialismo barato, é o melhor caminho para bem aplicar os recursos, que levarão à grandes resultados, produzindo verdadeiramente uma grande nação. Enquanto isso não ocorre, mais do que produzirmos analfabetos científicos, estamos produzindo “analfabetos morais”.

Este risco ideológico, que não é de hoje, já era manifesta preocupação de Epicteto (filósofo grego 135DC). Afirmava o pensador que “Os homens são movidos e perturbados não pelas coisas, mas pelas opiniões que eles têm delas, portanto para o ser racional, apenas o que é contrário à razão é insuportável”.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Risco Ambiental na Gestão de Resíduos Sólidos

Roberto Roche12 de dezembro de 2017
São Paulo

Cidade de São Paulo – TODOS são “fumantes”.

Roberto Mangraviti9 de dezembro de 2017
Leite e Qualidade

Leite: qualidade, processamento e as nomenclaturas comerciais.

Convidado8 de dezembro de 2017
Pré-História

Homem … 45 mil anos de impacto ambiental

Ricardo Rose7 de dezembro de 2017
Gestão Ambiental

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche5 de dezembro de 2017
equipes

Equipes de Crise Corporativa

Roberto Mangraviti2 de dezembro de 2017
Energia Aeólica

A Cidade de Saerbeck planejou e realizou o futuro.

Roberto Mangraviti1 de dezembro de 2017
Demitir Clientes

Momento(s) de “demitir” um cliente !

Roberto Mangraviti30 de novembro de 2017

A revolução das impressoras 3D: Impressão de pontes de aço

Cristian Reis Westphal29 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »