Artigos

Reciclagem…podemos fazer mais!

Reciclagem…podemos fazer mais!

Reciclagem é um tópico bastante abordado nessa coluna. Parece insistência … e é. Reciclar significa dar um novo destino a produtos usados, sendo uma das armas mais eficientes contra a poluição, pois além de evitar a retirada de matéria prima da natureza, termina por dar um destino correto para o que seria considerado “lixo”.

Milhares de produtos podem ser formados com materiais reciclados, como roupas e acessórios de fio pet, pranchas de surfe, barcos de garrafas, e até mesmo casas e pavimentações feitas de ‘sobras’ de construções.

Em muitas partes do terceiro mundo, a reciclagem é feita por necessidade, pois significa o sustento de muitas famílias que tiram do lixo dinheiro para o pão de cada dia. Pode também a reciclagem ser utilizada como uma forma de arte, onde artistas usam esta “matéria prima” para produzir esculturas e outras peças, e acabam por chamar a atenção para esse assunto tão importante.

Vários países do primeiro do mundo, especialmente na Europa, possuem uma consciência ambiental ampla, como Holanda, Dinamarca, Alemanha e Suíça, levando a reciclagem muito a sério. Esta consciência é absorvida pela população através de legislações inteligentes, com destaque para Suíça, onde o lixo que é enviado para o aterro (sanitário) é cobrado, enquanto a reciclagem é gratuita. A França, para citar outro país europeu, produz cerca de 17% da energia elétrica, através do metano extraído do lixo úmido.

Mas o Brasil está longe da lista dos 10+ e até mesmo dos 20+. Das 240 mil toneladas de lixo produzidas diariamente, nosso país recicla apenas 2% desse total, contra índices médios de cerca de 40% dos europeus . A maior barreira enfrentada pela reciclagem no Brasil é a falta de instrução, pessoas com um nível maior de educação reciclam mais, e essa porcentagem diminui proporcionalmente ao nível de instrução, ou seja, quanto menos educação, menor consciência ecológica da população. Além disso, apenas 62% da população brasileira tem acesso a coleta regular de lixo e ainda muito menos a coleta de lixo limpo.

Reciclar é fácil. Mas podemos e devemos fazer mais do que separar lixo “limpo” do lixo orgânico. Fundamental separar em classes (plástico, vidro, papel, metal, óleo de cozinha), procurando enviar para uma destinação correta, quer seja encaminhando às estações de coleta ou informando-se na prefeitura da sua cidade sobre coleta seletiva. Para quem quer ir mais além, uma boa alternativa é construir uma composteira em casa com o lixo orgânico (sobras de comida, casca de frutas e legumes). Esta é uma ótima maneira de reduzir o aporte de lixo para aterros, considerando que existem composteiras a venda no mercado para quem tem um espaço reduzido e pretende “ fazer a sua parte”.

Tá, mas o que isso tem a ver com o oceano? Tudo! O mundo é um só. Uma coisa está conectada a outra e quanto maior a reciclagem, menor a quantidade de lixo nos aterros, ruas, rios, mares e… oceanos!

Então … bom trabalho!

Autora: Thayná Correia

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Mestre em Oceanografia, Física, Química e Geológica. Especialista em Estudos Ambientais para área petrolífera e Repostas a Derramamento de Óleo em Corpos Hídricos.

Mais em Artigos

Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Infraestrutura – Brasil no descompasso internacional (2)

Roberto Mangraviti8 de novembro de 2017
Políticos Ranking

Dica de Hoje: site faz “Ranking” de políticos.

Roberto Mangraviti7 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »