Artigos

Resíduos da Construção Civil.

Resíduos da Construção Civil.

RCC é o nome que se dá para os Resíduos da Construção Civil  gerado nas obras, especialmente reformas , sendo  a demolição  o ponto de partida para o início dos trabalhos. Importante destacar que a maioria de todos os resíduos das obras(70%),  são gerados em  pequenas reformas. Em vista do valor contido neste resíduo, as grandes construtoras tem desenvolvido estratégias adequadas para utilização deste insumo. Podemos citar como exemplo a demolição do antigo Estádio do Parque Antártica do Palmeiras em São Paulo, hoje uma belíssima Arena multiuso denominada Allianz Parque, onde a Construtora W Torre de forma eficiente encaminhou o material para os trabalhos de fundação do novo Estádio do Corinthians, também em São Paulo.

Outro bom exemplo, nos é dado pela Prefeitura de Jundiaí. Conforme divulgado pelo site Engenharia “No distrito industrial de Jundiaí foi construído o Geresol (Centro de Gerenciamento de Resíduos Sólidos) – usina mantida pela própria prefeitura, que recebe o RCC, separa os agregados e os utiliza no concreto para produzir peças pré-fabricadas de cimento para fins não estruturais, como pavers, meios-fios e manilhas. Em dois anos, o Geresol já recebeu 700 mil m³ de RCC e extraiu 300 mil toneladas de material reciclado. Isso gerou economia de R$ 13 milhões ao município, que passou a não comprar mais produtos virgens, principalmente areia e brita.”

Apesar destas ações inteligentes citadas, o país está muito longe de encaminhar adequadamente estas sobras. Especialmente aquelas geradas em pequenas obras, que muitas vezes são indevidamente transportadas pelo sistema público de coleta de lixo, onerando o sistema e danificando também equipamentos de trituração. Hoje estima-se que somente 6% deste entulho no Brasil,  tem o destino correto para produção de brita e assemelhados. Portanto sugerimos a quem deseja reformar sua residência procurar avaliar a empresa de caçamba que fará o transporte, antes da contratação, pois transportar regularmente e descarregar em áreas permitidas, não onera o preço cobrado. Iniciar uma obra requer planejamento, para que justamente não extrapole o custo estimado. Aquele modelo comum em reformas residenciais  onde a expressão  “já que” estamos fazendo isto … deve ser evitado com firmeza,  pois é o maior prenuncio de estouro inevitável do orçamento no futuro. O primeiro passo inteligente trata-se portanto em planejar e aproveitar integralmente o entulho, quer seja na mesma obra ou comercializando-o.

Foto: http://www.wbconstruction.us

 

Autor: Roberto Mangraviti

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Motivação_Herzberg

Teoria da Motivação de Herzberg (3).

Roberto Mangraviti23 de novembro de 2017
Bolsa Família

O Bolsa Família ocultou a taxa de desemprego real?

Roberto Mangraviti22 de novembro de 2017
QSMS-RS e Sustentabilidade

Mais líderes na gestão de QSMS-RS & Sustentabilidade

Roberto Roche20 de novembro de 2017
Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »