Artigos

“Uma Casa Não é um Lar”

“Uma Casa Não é um Lar”

Hal David , numa das suas brilhantes parcerias com Bacharach,  cunhou a expressão “ A house is not a home”  numa maravilhosa canção.

Da mesma forma, um Dirigente não é necessariamente um Líder.

Não há nenhuma novidade em afirmar, que os gestores de empresas têm como objetivo conduzi-las ao melhor resultado possível.

Isto implica, naturalmente, em produzir com eficiência ou citando o desgastado jargão :  fazer mais com menos.

No âmbito do consumo de matérias-primas e energias para produção de algum bem, a conta é relativamente simples de ser feita.

No campo da mão de obra, nem tanto.

Requer uma engenharia muito maior e dinâmica, do que o somatório de esforços dos profissionais envolvidos na empresa.

Na verdade, começa fora dela, através do engajamento dos próprios fornecedores e prestadores de serviço. Um parceiro comercial que simplesmente cumpre as diretrizes da empresa, nos dias de hoje, pode não ser mais um bom fornecedor.

O engajamento necessário transcende este compromisso, pois se houvesse simplesmente que  cumprir o combinado, não existiria o ditado “aos amigos tudo, para os inimigos  a Lei…”

E é nesta toada que muitos gestores não se apercebem no buraco em que se metem, fazendo suas equipes simplesmente “cumprir a lei“, , ou a regra da empresa.

Esta postura de fazer o compromissado é óbvia demais para os dias de hoje, e é o suficiente para o descumprimento de prazos exigidos pelo mercado, cada vez mais ágil e dinâmico.

Num mundo globalizado onde a China, cria uma Grécia em 12 semanas e desde 2010, criou uma Índia (em termos de PIB) fica difícil, superar desafios e organizar razoavelmente os negócios, seguindo burocraticamente a regra do jogo.

Interessante notar alguns dirigentes, exigem de seus comandados, atitudes que não tomam, através do próprio exemplo.

Exigem das chefias liderança, sem liderá-los .

Metodologia, sem instruí-los.

Comprometimento, sem exercitar a tolerância.

Competência, sem avaliar minimamente as qualificações de seus comandados.

Comandar uma Empresa sempre exigiu primordialmente liderança e um olho clínico, por vezes descolado do conhecimento técnico, porém afinado com o feeling. Mas,  hoje requer muito mais : conhecer custos, marketing, processos produtivos  e  muito, mas muito mesmo, o Comandar Pessoas.

O Comandado precisa olhar para o Comandante e sentir-se seguro nas diretrizes a serem cumpridas a ponto de sentir-se em casa, literalmente amparado.

Isto implica, para o Comandante, chamar a responsabilidade para si, sendo respeitado pelo conhecimento técnico desenvolvido e delegando mais e mais na prática aos subordinados. Este delegar, é acima de tudo, um ato de humildade e generosidade, pois representa compartilhar conhecimento, métodos e técnicas, ao invés de empurrar uma “bucha” para outrem.

Um bom exercício inicial, seria copiar o próprio Hal David, através do verso que encerra a canção de abertura deste texto “Turn this house into a home”  ou “ Transforme esta casa em um lar”.

 

Roberto Mangraviti

Economista, Criador e Editor do Portal SustentaHabilidade . Diretor da Trade Marketing Consultoria, Consultor da ADASP ( Associação dos Distribuidores e Atacadistas de São Paulo ), criador e apresentador do Programa ADASP –SustentaHabilidade, desde 2011,  veiculado pela TV Sorocaba ao Vivo.

Clique para adicionar um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

Artigos

Economista e Facility Manager em Sustentabilidade. Editor, diretor e apresentador do Programa Sustentahabilidade.com pela WEBTV. Consultor da ADASP- Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Estado de São Paulo e colunista do site do Instituto de Engenharia de São Paulo.

Mais em Artigos

Motivação

Teoria da Motivação de McClelland(2)

Roberto Mangraviti17 de novembro de 2017
Infraestrutura

Infraestrutura no Brasil – Concessionárias as únicas com bons resultados( Parte 3)

Roberto Mangraviti16 de novembro de 2017
Gestão Ambiental Portuária

Gestão Ambiental portuária, Ônus ou Oportunidade?

Roberto Roche14 de novembro de 2017

Motivação na ótica de Maslow

Roberto Mangraviti13 de novembro de 2017
Adam Smith

Lições para o Brasil – Adam Smith

Roberto Mangraviti12 de novembro de 2017
Animal Pré-histórico

Animais que “deram as caras” depois da extinção dos dinossauros

Karen P Castillioni11 de novembro de 2017
quando o medicamento vira droga

Quando o analgésico mata

Dependência Química9 de novembro de 2017

Infraestrutura – Brasil no descompasso internacional (2)

Roberto Mangraviti8 de novembro de 2017
Políticos Ranking

Dica de Hoje: site faz “Ranking” de políticos.

Roberto Mangraviti7 de novembro de 2017

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com

Translate »