Artigos

Amigas para sempre…relação mutualística

Amigas para sempre…relação mutualística

Você sabe o que é uma relação mutualística? É o tipo de relação que as árvores de acácia (do gênero Acacia) e as formigas têm. Quer mais detalhes? Nas relações mutualísticas, nenhum dos parceiros pode sobreviver sem o outro…parece uma relação bem intensa, não? Mais especificamente, o mutualismo é uma interação biológica na qual o crescimento, sobrevivência e/ou reprodução são incrementados por ambas as espécies.

Acacia

As árvores e arbustos de Acacia ocorrem amplamente nas regiões tropicais e subtropicais. Enquanto as formigas habitam seus espinhos e, com isso, há uma interação planta-animal. As formigas se alimentam de açúcar ao beber o néctar em nectários e ingerem gorduras e proteínas em estruturas nutritivas da planta. Além disso, vivem em cavidades no interior de espinhos ocos. As formigas do gênero Pseudomyrmex são totalmente dependentes dessas estruturas da planta para alimentação.

Até aqui já percebemos que as formigas são bastante beneficiadas mas, e o que as acácias ganham com essa relação? A troca positiva ocorre porque as formigas operárias, que enxameiam sobre a superfície da planta, agridem e picam animais de qualquer tamanho que entram em contato com a planta, protegendo-a do ataque de herbívoros. Outro benefício desta relação ocorre quando um ramo de outra planta, como de trepadeiras, toca a árvore habitada pelas formigas e estas destroem os ramos invasores, formando um túnel de luz na densa vegetação tropical ao redor.

Experimentos realizados pelo biólogo Daniel H. Janzen, na década de 1960, comprovaram a relação de dependência entre ambas as partes. Janzen removeu a formiga da acácia e, consequentemente, esta cresceu muito lentamente e geralmente morria em poucos meses devido ao ataque de herbívoros ou sombreamento por outras plantas.

Com essa história toda, o senso comum de que elefantes têm medo de ratos, mostra que, na realidade, eles precisam ter mais medo de insetos e de fato têm.

Referência:
– Raven, P. H.; Ray F. E.; Eichhorn, S. E. (2001). Biologia Vegetal, Sexta Edição. Editora Guanabara Koogan. Rio de Janeiro, RJ. pag.742-743.
– http://hypescience.com/formigas-protegem-arvores-de-elefantes/

Figuras:
– http://www.antspic.com/context.asp?id=810
– http://ambergriscaye.com/pages/bush_medicine.html

Autora: Karen P Castillioni

contato@sustentahabilidade.com

Artigos

Bióloga com Mestrado em Botânica pela UNESP.Desenvolvedora de estudos ligados à ecologia, conservação, sustentabilidade e impactos das alterações climáticas.

Mais em Artigos

Dia da Árvore e o bem estar

Dia da Árvore e o bem estar !

Roberto Mangraviti21 de setembro de 2020
Bioinseticida combatendo a mosca branca na agricultura

Bioinseticida combatendo a mosca branca na agricultura

Roberto Mangraviti7 de setembro de 2020
Unicórnio nacional é destaque no mundo dos negócios ambientais

Unicórnio nacional é destaque no mundo dos negócios ambientais

Roberto Mangraviti8 de agosto de 2020

Energia limpa crescendo em 2020 no Mundo

Roberto Mangraviti3 de agosto de 2020
Novo marco legal do saneamento

Novo marco legal do saneamento

Roberto Mangraviti26 de julho de 2020

Conheça do benefícios das plantas medicinais e aromáticas

Isabel Gimenez20 de julho de 2020

Primeiro pivô de irrigação por energia solar é lançado no Brasil

Roberto Mangraviti13 de julho de 2020

Biosolvit é ganhadora do Virtual South Summit de Sustentabilidade

Roberto Mangraviti28 de junho de 2020

Transações online de gado ganham força durante pandemia

Roberto Mangraviti15 de junho de 2020

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com