Artigos

Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo

Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo

A Campanha Nacional de Vacinação 2018 contra a POLIOMIELITE E O SARAMPO acontecerá entre oa dias 06 e 31 de Agosto.

As crianças de 1 a 5 anos devem ser levadas aos postos de saúde para tomar as vacinas mesmo que já tenham sido vacinadas anteriormente. 

No dia 18 de Agosto acontecerá o  “DIA D” de mobilização. Neste sábado (18) os Postos de Saúde estarão abertos  para a aplicação de vacinas.

Vacinação Poliomielite e Sarampo

 

A vacinação é a única forma de prevenção contra a poliomielite e o sarampo, e contra muitas outras doenças. Na vacina contém os vírus mortos ou pequenos pedaços dos vírus responsáveis por causar determinada doença. Ao entrar em contato com nosso sistema imunológico a vacina ajuda nosso corpo a produzir anticorpos e criar imunidade contra adoença específica. A vacina não causa a doença, mas sim, faz com que nosso organismo construa defesas para não que não tenhamos a doençafuturamente.

No Brasil, a vacinação do calendário básico é obrigatória desde 1976. Os pais que não levarem seus filhos para se vacinarem podem ser responsabilizados, inclusive juridicamente. De acordo com o Calendário Nacional de Vacinação, as crianças com até 10 anos devem receber 12 vacinasem um total de 25 doses, que são oferecidas gratuitamente pelo SUS. As vacinas contra a poliomielite e o sarampoestão incluídas neste calendário.

Segundo o Ministério da Saúde,em 2018, 11 milhões e 200 mil crianças em todo o país devem ser vacinadas contra a pólio e o sarampo, e a meta é atingir ao menos 95% delas. No ano passado, a cobertura vacinal no Brasil foi a menor dos últimos 16 anos. Em 2017, apenas 70% das crianças brasileiras de 1 a 5 anos foram vacinadas contra o sarampo e apenas 77% contra a pólio. Nesta campanha de 2018, até a última terça-feira apenas 16% das crianças alvo haviam sido vacinadas, ou seja, 84% das crianças de 1 a 5 anos ainda precisam tomar as vacinas.

A baixa procura pela vacinaçãotraz o risco do retorno destas e de outras doenças já consideradas erradicadas.Em 2015, o Brasil tinha eliminado a circulação do vírus do sarampo, no entanto, o vírus voltou a circular no país causando surtos no Amazonas e em Roraima, e casos no Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Pará e São Paulo. A poliomielite era considerada erradicada no Brasil desde 1994, mas há alto risco da volta da doença no país ainda este ano.

Até o momento, São Paulo e Rondônia são os estados com maior número de crianças vacinadas contra pólio e sarampo. Amazonas e Roraima estão com os menores índices de crianças vacinadas, e são justamente os estados que sofreram com mais casos destas doenças nos últimos meses. Até 14 de agosto de 2018 foram confirmados 1237 casos de sarampo no Brasil, 6 mortes pela doenças e mais milhares de casos em investigação.

Adolescentes e adultos também podem se vacinar, no entanto, não são o foco no momento e devem procurar os postos de saúde após o término da campanha. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo tem as crianças de 1 a 5 anos como público alvo, pois esta faixa etária é a mais susceptível a riscos e complicações de ambas as doenças.

Sobre as doenças:

Sarampo: é uma doença infecto-contagiosa causada por um vírus e transmitida pela tosse e espirro. Seus sintomas são febre alta, tosses, corizas e manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Mundialmente, o sarampo é uma das principais causas da mortalidade de crianças com até 5 anos de idade.

Poliomielite: também é uma doença infecto-contagiosa causada por um vírus que vive no intestino. A transmissão da pólio ocorre através da boca e do contato com as fezes de pessoas contaminadas com o vírus. Seus sintomas são parecidos com os sintomas da gripe, no entanto, a pólio pode causar insuficiência respiratória, paralisia das pernas e morte. Esta doença foi responsável por milhares de casos de paralisia infantil nos anos 80.

 

Imagem: Ministério da Saúde

Referências: Ministério da Saúde, Folha de São Paulo e G1.

 

Texto:Laís Nunes

contato@sustentahabilidade.com

Artigos

Bióloga e pedagoga com mestrado em Biologia Vegetal (UNESP Rio Claro). Tem interesse nas áreas de ecologia, ecossistemas aquáticos, educação ambiental e sustentabilidade.

Mais em Artigos

Dia da Árvore e o bem estar

Dia da Árvore e o bem estar !

Roberto Mangraviti21 de setembro de 2020
Bioinseticida combatendo a mosca branca na agricultura

Bioinseticida combatendo a mosca branca na agricultura

Roberto Mangraviti7 de setembro de 2020
Unicórnio nacional é destaque no mundo dos negócios ambientais

Unicórnio nacional é destaque no mundo dos negócios ambientais

Roberto Mangraviti8 de agosto de 2020

Energia limpa crescendo em 2020 no Mundo

Roberto Mangraviti3 de agosto de 2020
Novo marco legal do saneamento

Novo marco legal do saneamento

Roberto Mangraviti26 de julho de 2020

Conheça do benefícios das plantas medicinais e aromáticas

Isabel Gimenez20 de julho de 2020

Primeiro pivô de irrigação por energia solar é lançado no Brasil

Roberto Mangraviti13 de julho de 2020

Biosolvit é ganhadora do Virtual South Summit de Sustentabilidade

Roberto Mangraviti28 de junho de 2020

Transações online de gado ganham força durante pandemia

Roberto Mangraviti15 de junho de 2020

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2015 Sustentahabilidade - Todos os direitos reservados.
Os artigos publicados neste Portal, são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos autores. Para mais informações: contato@sustentahabilidade.com

Outros emails específicos: classificados@sustentahabilidade.com dependenciaquimica@sustentahabilidade.com